Meteorologia

  • 22 SETEMBRO 2018
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 17º

Edição

Novo Acordo de Empresa para tripulantes de cabine da TAP "é muito melhor"

O novo acordo de empresa "é muito melhor" para os tripulantes de cabine da TAP e contempla "mais dias de folga e melhores condições de parentalidade", garantiu hoje o presidente executivo (CEO) da companhia aérea.

Novo Acordo de Empresa para tripulantes de cabine da TAP "é muito melhor"
Notícias ao Minuto

17:48 - 13/09/18 por Lusa

Economia Antonoaldo Neves

Em audição parlamentar, Antonoaldo Neves tinha já referido que falta chegar a acordo com um dos 15 sindicatos que representam os trabalhadores da TAP, ou seja o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC).

Em resposta aos deputados, o CEO argumentou que a proposta da empresa é "muito melhor para os tripulantes de cabine e qualquer governante vai ficar muito feliz por se dar melhor condições de parentalidade e mais dias de folga".

"Podem perguntar porque o fazemos. É porque tenho um absentismo enorme, por isso é melhor combinar isso antes e, por isso, enfoco muito nesse acordo de empresa para assegurar melhorias de condição de vida", respondeu o responsável ao deputado Helder Amaral, do CDS-PP.

Em novembro de 2017, o SNPVAC questionou, em carta aberta, o primeiro-ministro, António Costa, sobre a denúncia do Acordo de Empresa (AE).

O sindicato questionou o chefe de Governo sobre o desrespeito pelas "proteções laborais garantidas pelo anterior executivo", em 24 de dezembro de 2014, e se aceitará que, ao contrário do que se encontra previsto na Constituição e no Código do Trabalho, "exista discriminação entre trabalhadores, resultado de convicções políticas ou ideológicas".

"Consideramos que as respostas a estas questões colocam um ponto final sobre a posição do Governo quanto à precariedade no trabalho e à contratação coletiva, bem como à paz laboral na TAP", escreve o sindicato independente.

Dias antes, o então presidente executivo da TAP, Fernando Pinto, já tinha comunicado, numa carta enviada aos tripulantes, que o AE em vigor não tinha condições para ser mantido "nos seus termos atuais", justificando que "muitas das suas regras estão desajustadas face à realidade" e "outras são utilizadas de forma abusiva por alguns, com prejuízo de todos".

Já ao deputado do PCP, Bruno Dias, Antonoaldo Neves referiu que "há um sindicato que fez um acordo e agora diz que não fez", referindo que os restantes representantes dos trabalhadores cederam em alguns pontos, face nomeadamente aos aumentos salariais fixados.

O CEO revelou ainda que a TAP deverá receber um simulador próprio no final do ano, mas como tem de recorrer a equipamentos externos está a cobrar 30 mil euros aos pilotos que entram para a formação da companhia.

Na audição, o presidente executivo revelou o "sonho de criar um grande centro de formação" de pilotos, não só da TAP "como do mundo inteiro", em Lisboa.

"Estou a discutir esse projeto", disse o CEO, indicando que a companhia ainda tem falta de pilotos e recordou a anunciada contratação de mais 300 profissionais.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório