Meteorologia

  • 22 SETEMBRO 2018
Tempo
29º
MIN 27º MÁX 30º

Edição

Número de abrangidos por despedimentos coletivos aumentou

Lisboa, 21 ago (Lusa) -- O número de trabalhadores abrangidos por despedimentos coletivos nos primeiros sete meses do ano aumentou 18,5% face ao mesmo período do ano passado, atingindo 2.510 pessoas, revelam dados da DGERT.

Número de abrangidos por despedimentos coletivos aumentou
Notícias ao Minuto

19:20 - 21/08/18 por Lusa

Economia DGERT

Os dados da Direção-Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT) revelam que de janeiro a julho deste ano ocorreram 183 processos de despedimento coletivo, número que compara com 243 no mesmo período do ano passado.

Porém, o número de trabalhadores que perderam o emprego nestes processos foi de 2.510 nos primeiros sete meses de 2018, contra 2.118 no período homólogo.

Os 183 processos de despedimento coletivo até julho ocorreram sobretudo nas pequenas empresas (78) e nas microempresas (74), seguindo-se as médias (23) e as grandes empresas (8).

Apesar do balanço acumulado dos primeiros sete meses revelar um aumento do número de trabalhadores despedidos, o mês de julho registou uma descida de 71% comparativamente ao mesmo mês do ano passado.

Em julho foram abrangidos pelo despedimento coletivo 139 trabalhadores (contra 483 em julho de 2017), num total de 27 processos comunicados à DGERT, o que representa menos 23% de processos face ao mês homólogo.

O número de trabalhadores abrangidos no mês de julho de 2018 é o mais baixo desde pelo menos 2012, ano em que Portugal estava sob a intervenção da 'troika' e em que se registou o valor mais alto de sempre, com 10.488 trabalhadores despedidos neste âmbito.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório