"Fomos vítimas claras de uma injustiça em Braga"

Nuno Espírito Santo considera que os "jogadores do FC Porto têm sido vítimas constantes de faltas graves" que "condicionam" a equipa.

© Global Imagens
Desporto Nuno Espírito Santo

Nuno Espírito Santo deixou duras críticas à arbitragem do duelo com o Sporting de Braga – que terminou empatado a uma bola – na conferência de imprensa de antevisão à receção ao Feirense.

PUB

O técnico dos azuis e brancos sublinha que “é preciso ser paciente, perspetivar sempre que os árbitros tenham um bom desempenho e sejam justos”, mas diz ser “muito difícil explicar o que aconteceu em Braga, que não tem explicação ou defesa possível”.

“Fomos vítimas claras de uma injustiça, eu estava lá, estava no banco, sei o que se passou. Não se passou nada que justificasse a expulsão do Brahimi e o castigo de dois jogos. É estranho e é absurdo”, atirou.

Ainda no que toca ao castigo do internacional argelino, Nuno Espírito Santo disse esperar “que seja feita justiça com o recurso” e mostrou-se “solidário com o jogador, que foi injustiçado”

“O que me preocupa como técnico são as inúmeras faltas do nosso adversário e a dualidade de critérios. Nós sentimos que não foi justo. Vamos debruçar-nos nisso e esperar que tudo seja normal. A única coisa que peço e peço de forma muito direta, é que sejam justos. Os jogadores do FC Porto têm sido vítimas constantes de faltas graves, que não estão a ser punidas, que nos condicionam”, rematou.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser