Meteorologia

  • 20 JANEIRO 2019
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 12º

Edição

'Uma Noite no Futuro' expõe memórias e reúne Gil Vicente e Beckett

A peça 'Uma Noite no Futuro', que se estreia esta quinta-feira, no Teatro Carlos Alberto, no Porto, une em palco Gil Vicente e Samuel Beckett e eleva, "num espetáculo intimista", o conceito de memória das diferentes personagens.

'Uma Noite no Futuro' expõe memórias e reúne Gil Vicente e Beckett
Notícias ao Minuto

23:08 - 11/12/18 por Lusa

Cultura Teatro

"Sempre tivemos uma intuição de que poderíamos juntar o Gil Vicente com outro autor mais contemporâneo, e o Beckett é desses autores contemporâneos que poderia viver com o Gil Vicente [...] também porque havia um chamamento destes dramatículos do Samuel Beckett a uma peça muito pequena do Gil Vicente, que nunca foi feita", afirmou o encenador Nuno Carinhas, à margem do ensaio de imprensa da peça "Uma Noite no Futuro", que decorreu esta tarde, no Teatro Carlos Alberto.

A peça 'Uma Noite no Futuro' junta a 'Velha Toada' e 'A Última Gravação de Krapp', de Samuel Beckett, e o 'Auto da Fé', de Gil Vicente, num espetáculo que dá atenção particular à memória.

"A memória é um tema evidente nestes três textos, mas de alguma forma, todos eles visam a prosperidade, o futuro, a sua própria identidade, e a fé é um futuro, portanto esta é uma peça que está entre o passado e o futuro. Uma Noite no Futuro é a noite em que Gil Vicente e Samuel Beckett se encontram, essa é a noite, uma noite que não é possível no presente, nem foi no passado", salientou Pedro Sobrado, presidente do Conselho de Administração do TNSJ, que partilha a dramaturgia com Nuno Carinhas.

Em palco são cinco as personagens que sublinham esse conceito de recordação: dois velhos que lembram o passado num mundo moderno, um homem que dialoga com uma gravação que fizera 30 anos antes e dois simples pastores que tem como interlocutora a fé.

Segundo Nuno Carinhas, são as "ausências" e os "desafios que Beckett faz num teatro que não é naturalista", que tornam a peça "num local muito interessante daquilo que é o quotidiano, e uma forma de arte que se impõe através da escrita e que depois se projeta no corpo dos atores".

"Este espetáculo é um pedacinho do universo, não é apenas sobre o quotidiano que está fechado numa caixa. É a nossa vontade de dizer muito em pouco tempo e num espaço pequeno", frisou o encenador.

"Uma Noite no Futuro", que se estreia na quinta-feira e fica em cena no TeCA até dia 22 de dezembro, pode ser vista à quarta-feira e sábado, às 19:00, quinta e sexta-feira, às 21:00, e, ao domingo, às 16:00, tendo um custo de entrada de dez euros.

Na sexta-feira, dia 14 de dezembro, José Augusto Cardoso Bernandes, professor na Faculdade de Letras de Universidade de Coimbra, Nuno Carinhas, diretor artístico do TNSJ, e Pedro Sobrado juntam-se para uma conversa após o espetáculo.

A sessão de dia 16 de dezembro, domingo, conta com tradução simultânea em língua gestual portuguesa e áudio-descrição.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório