Meteorologia

  • 28 JUNHO 2017
Tempo
20º
MIN 19º MÁX 20º

Edição

Santos Silva nos EUA. Combate ao ISIS entre os assuntos principais

O ministro dos Negócios Estrangeiros português desloca-se a Washington entre hoje e quarta-feira, para participar na reunião da coligação anti-Estado Islâmico e reunir-se com membros da administração norte-americana, com congressistas e empresários lusodescendentes.

Santos Silva nos EUA. Combate ao ISIS entre os assuntos principais
Notícias ao Minuto

07:30 - 20/03/17 por Lusa

País Ministro

A agenda da deslocação de três dias de Augusto Santos Silva inicia-se hoje com uma intervenção sobre 'O Projeto Europeu e as Relações Transatlânticas Atuais -- novos desafios, interesses comuns', a convite do German Marshall Fund of the US, pelas 11:00 locais (15:00 em Portugal continental).

No mesmo dia, o ministro participa num almoço de trabalho com o grupo de coordenação do ensino e leitores de português.

Na terça-feira, o chefe da diplomacia portuguesa encontra-se com os congressistas luso-americanos Devin Nunes, Jim Costa e David Valadão, pelas 11:00.

Costa e Valadão integram o 'Portuguese Caucus', o grupo de congressistas que defende os interesses de Portugal e da comunidade portuguesa nos EUA e que, nos últimos anos, tem sido particularmente ativo na questão da base das Lajes, onde os norte-americanos pretendem reduzir o contingente militar.

Ainda na terça-feira, o chefe da diplomacia portuguesa encontra-se com o assessor de segurança nacional, tenente-general H. R. McMaster, pelas 12:30 locais, na Casa Branca. McMaster sucedeu a Michael Flynn, que renunciou depois de 24 dias no cargo, por causa de contactos com os russos sobre as sanções norte-americanas a Moscovo.

No mesmo dia, cerca das 17:30 em Washington, Santos Silva será recebido pelo senador John McCain, o candidato dos republicanos à Casa Branca em 2008, quando perdeu para o democrata Barack Obama, eleito na altura para o seu primeiro mandato.

À noite, o ministro dos Negócios Estrangeiros janta com empresários luso-americanos, na residência oficial.

Na quarta-feira, o governante participa na sessão plenária dos ministros dos Negócios Estrangeiros da coligação anti-Estado Islâmico, composta por 68 países e organizações internacionais.

A reunião é organizada pelo Departamento de Estado norte-americano e pretende debater as prioridades da coligação no apoio à vertente militar de combate ao grupo extremista, incluindo os combatentes estrangeiros, o financiamento das ações antiterroristas, a contrainformação e a estabilização das zonas libertadas.

Os chefes da diplomacia deverão debater também as crises humanitárias na Síria e no Iraque, naquele que será o primeiro encontro da coligação internacional desde dezembro de 2014.

Na ocasião, a coligação considerou que o avanço do grupo 'jihadista' Estado Islâmico no Iraque e na Síria estava a ser travado. Portugal anunciou, então, um contributo de 200 mil euros destinado às vítimas da organização terrorista.

No programa desta deslocação de três dias, não consta nenhum encontro bilateral com o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson.

A 20 de janeiro, dia da posse de Donald Trump como Presidente dos Estados Unidos, Augusto Santos Silva declarou no parlamento estar em preparação "o passo indispensável", ou seja, um encontro entre os chefes da diplomacia entre os dois países.

Portugal manteve, desde logo, contactos com a equipa de transição de Donald Trump, "tirando partido, no interesse português" da presença do congressista lusodescendente e foram tomadas as necessárias "diligências diplomáticas" para que o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, falasse por telefone, ainda antes da posse, com o Presidente eleito dos EUA, revelou, na altura, Santos Silva.

Campo obrigatório