Meteorologia

  • 15 JUNHO 2021
Tempo
32º
MIN 17º MÁX 32º

Edição

Apple Store volta a ter Parler, que foi banida após ataque ao Capitólio

A Apple vai readmitir na sua app store a rede social Parler, favorita dos conservadores dos Estados Unidos, mas proibida desde janeiro na sequência do ataque ao Capitólio por partidários do ex-presidente Donald Trump.

Apple Store volta a ter Parler, que foi banida após ataque ao Capitólio
Notícias ao Minuto

10:09 - 20/04/21 por Lusa

Tech Parler

O congressista republicano Ken Buck, que reclamou com a empresa pela proibição da rede social, partilhou no Twitter a carta de resposta da Apple, na qual a empresa anuncia que irá readmitir a Parler na loja virtual App Store assim que lançar uma versão atualizada.

A rede social foi inicialmente banida porque a empresa liderada por Tim Cook considerou que não estava a fazer o suficiente para moderar o conteúdo partilhado pelos utilizadores, mesmo quando era claramente racista ou apelava à violência, atitudes que não são permitidas pelas políticas corporativas da Apple.

No entanto, depois de várias reuniões mantidas pela empresa do iPhone e a Parler desde janeiro, a rede social apresentou uma versão atualizada da sua aplicação que, garante, melhora a qualidade da moderação, tendo sido aprovada pela Apple.

Os seus promotores definem a Parler como a rede social da "liberdade de expressão", precisamente devido a uma política pouco rígida de moderação de conteúdos, mas garantem que não é direcionada a nenhum público específico.

Recentemente, a Parler ganhou muita popularidade entre os conservadores dos Estados Unidos, que consideram que redes como o Facebook ou o Twitter vetam as suas opiniões e não permitem que se expressem.

Vários congressistas republicanos, assim como jornalistas -- nomeadamente do canal Fox News - e outros utilizadores da ala conservadora têm conta na Parler, usando-a para comunicar com os seus seguidores.

O grande "boom" da rede social surgiu depois das eleições presidenciais de novembro passado, quando se tornou numa forma de partilhar inúmeras teorias da conspiração e um dos principais canais de organização dos protestos que culminaram com o ataque à sede do Congresso federal, em janeiro.

A invasão do Capitólio aconteceu em 6 de janeiro, quando partidários convocados por Trump se reuniram em Washington para protestar, por alegada fraude, contra o resultado da eleição, no dia em que Congresso e Senado se iriam reunir para ratificar a vitória de Joe Biden.

A polícia conseguiu, já durante a noite, recuperar o controlo do Capitólio, mas cinco pessoas (quatro manifestantes e um polícia) morreram e dezenas foram presas.

A rede social está praticamente inoperacional desde o início do ano, quando a Apple e o Google (donos dos dois principais sistemas operativos móveis) decidiram retirá-la das suas lojas virtuais e a Amazon a expulsou dos seus servidores de internet.

Leia Também: Relatório revela a verdadeira prioridade na hora de comprar um iPhone

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório