Meteorologia

  • 07 MARçO 2021
Tempo
15º
MIN 11º MÁX 18º

Edição

Redes sociais acusadas de radicalizar utilizadores

Democratas dos EUA escreveram uma carta dirigida aos CEOs do Facebook, Google e Twitter.

Redes sociais acusadas de radicalizar utilizadores

A invasão ao Capitólio do dia 6 de de janeiro fez com que empresas tecnológicas como o Facebook e o Twitter banissem o então Presidente Donald Trump das respetivas plataformas. O incitamento ao ódio foi um dos argumentos apontados por estas empresas mas, aparentemente, os democratas dos EUA não acham que Trump tenha sido o único culpado pelo incidente.

Como conta o Business Insider, alguns elementos da ala democrata dos EUA enviaram uma carta aos CEOs do Facebook, Google e Twitter a acusá-los de radicalizar os utilizadores destas plataformas. “Na quarta-feira, dia 6 de janeiro, o Capitólio dos EUA foi atacado por uma insurreição de uma multidão violenta e radicalizada, em parte devido à ressonância digital que as vossas empresas criaram, construíram e mantiveram”, pode ler-se nesta carta.

Os representantes democratas acusaram ainda estas plataformas de não fazerem o suficiente para combater movimentos extremistas, indicando que a moderação que é feita atualmente não serve para lidar com o problema.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório