Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2017
Tempo
24º
MIN 21º MÁX 26º

Edição

"Altice é exemplo desastroso do crescente domínio do capital estrangeiro"

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, disse hoje que o país está "farto" das políticas "ditas estruturais à moda do FMI e da União Europeia", criticando PSD e CDS-PP por "só terem como resposta o regresso ao passado".

"Altice é exemplo desastroso do crescente domínio do capital estrangeiro"
Notícias ao Minuto

23:53 - 19/08/17 por Lusa

Política Jerónimo de Sousa

Num discurso focado nas eleições autárquicas que se realizam a 01 de outubro e com mensagens sobre a elaboração do próximo Orçamento do Estado, Jerónimo de Sousa, disse que "o país está a crescer e a criar emprego porque a recuperação dos rendimentos é um fator de dinamização económica".

O secretário-geral do PCP criticou "aqueles que defendem a política de baixos salários e baixas reformas", bem como o corte nos direitos de quem trabalha" porque, disse o líder dos comunistas, "apenas conhecem a linguagem da exploração e empobrecimento do povo".

"Tentam a todo custo desvalorizar o relançamento da economia e do emprego, mas toda a evolução da situação do país está a desmenti-los", disse Jerónimo de Sousa, para de seguida se referir diretamente ao anterior primeiro-ministro.

"Passos Coelho, afivelando uma visão catastrofista da evolução do país afirmou no Pontal que Portugal precisa de prosseguir as reformas do Governo que protagonizou com o CDS. Mais uma vez se confirma que PSD e CDS só têm como resposta o regresso ao passado das políticas, ditas estruturais à moda do FMI e da União Europeia (...). Mas dessas reformas o País está farto", referiu.

O secretário-geral do PCP admitiu que Portugal está "aquém do necessário e longe de resolver os problemas de fundo que garantam um desenvolvimento sustentado", mas destacou aquilo que diz que tem vindo a ser a luta dos comunistas, exemplificando com a gratuitidade dos manuais escolares a todos os alunos do 1.º ciclo, bem como a abertura do processo de combate à precariedade na Administração Pública, entre outros aspetos.

Jerónimo de Sousa também falou da PT, considerando que a multinacional Altice "está a destruir milhares de postos de trabalho", tendo frisado um pedido ao Governo para que se "imponha".

"O que está a acontecer na PT pela mão da multinacional francesa Altice é o exemplo desastroso do crescente domínio da economia nacional pelo capital estrangeiro, num percurso criminoso de privatizações e negociatas que colocaram a PT nas mãos da Altice. O país não pode deixar que se liquide definitivamente a PT como empresa estratégica nacional de telecomunicações. O Governo pode e deve opor-se aos desígnios destruidores da Altice", defendeu.

Já no final da sua intervenção, o líder dos comunistas - que falava num comício no qual também discursaram candidatos locais às eleições autárquicas, nomeadamente o cabeça-de-lista da candidatura da CDU à Câmara, Torcato Ribeiro - reafirmou que existem "razões de preocupação" porque, referiu, "em matérias várias não há resposta a legítimas expectativas dos trabalhadores".

"Por isso, no processo de elaboração e debate do próximo Orçamento do Estado e nas mais diversas frentes de ação e intervenção lá nos irão encontrar prosseguindo com a nossa ação e iniciativa visando o prosseguimento e aprofundamento da defesa, reposição e conquista de direitos", prometeu.

E uma das medidas elencadas prende-se com o aumento do salário mínimo: "Lá nos encontrarão determinados a tudo fazer pelo aumento geral dos salários, nomeadamente pelo aumento extraordinário do salário mínimo nacional para 600 euros, em janeiro de 2018 de modo a contribuir para a melhoria das condições de vida e o estímulo ao desenvolvimento económico", disse o secretário-geral do PCP.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório