Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2017
Tempo
22º
MIN 19º MÁX 24º

Edição

Vistas admite conhecer juiz e acusa Isaltino de condicionar justiça

A corrida à Câmara Municipal de Oeiras fica marcada pelo chumbo de candidaturas independentes.

Vistas admite conhecer juiz e acusa Isaltino de condicionar justiça
Notícias ao Minuto

20:57 - 09/08/17 por Pedro Filipe Pina

Política Oeiras

A candidatura de Isaltino Morais foi recusada pelo tribunal. Paulo Vistas, que viu a sua candidatura ser aceite, defendeu-se hoje das acusações do adversário.

As 31 mil assinaturas recolhidas pelo candidatura do antigo autarca de Oeiras foram entregues na semana passada, mas a candidatura foi rejeitada esta terça-feira na sequência de um despacho do juiz Nuno Cardoso.

Isaltino sugeriu que haveria relações familiares e pessoais entre o juiz, nomeadamente que Paulo Vistas seria padrinho de casamento do magistrado. Saliente-se que também outra candidata, Sónia Amado Gonçalves, viu a sua candidatura rejeitada, tendo já adiantado que vai apresentar recurso e suscitar um incidente de suspeição relativamente ao juiz.

Esta quarta-feira, em Oeiras e perante jornalistas, Paulo Vistas comentou o caso. O antigo ‘número dois’ de Isaltino, que lhe sucedeu no cargo de presidente da Câmara Municipal de Oeiras, admite conhecer pessoalmente o juiz, mas garantiu que nada fez para influenciar a justiça.

Ontem o candidato Isaltino Morais proferiu declarações que acho que atentaram o meu nome e a minha honra”, acusou o autarca.

“Para sermos candidatos numa lista de cidadãos temos de cumprir com as formalidades que estão previstas na lei. Foi isso que nós fizemos”, disse ainda Paulo Vistas, acrescentando que “se houve candidaturas independentes que não cumpriram com o que vem na lei, é um problema de cada uma das candidaturas com o tribunal e não com outro candidato. Não tive qualquer intervenção. Eu e a minha equipa preocupámo-nos em cumprir a lei”.

Vistas queixa-se de, ao longo da recolha de assinaturas, os pontos de recolha do seu movimento terem sido “várias vezes abordados por agentes da PSP”, tratando-se de “algo que nunca tinha acontecido” e que, acusa, terá surgido por causa da candidatura de Isaltino Morais.

Fico triste com as declarações do doutor Isaltino. No passado combati ao lado do doutor Isaltino tudo aquilo que eram ataques feitos através de insinuações e boatos. Ontem foi o doutor Isaltino que usou essa metodologia para me atacar”, disse ainda.

Relativamente ao juiz e as relações em causa, diz Paulo Vistas que só soube quem era o juiz que tinha tomado a decisão na última terça-feira.

Efetivamente eu conheço pessoalmente o juiz, quero dizer que Isaltino também o conhece pessoalmente, até porque conhecemo-lo os dois do mesmo sítio: antes de ter enveredado por esta carreira, militou no PSD”.

“Não confirmo que esse facto [conhecer pessoalmente o juiz] tenha pesado na decisão do juiz e que eu, enquanto candidato, enquanto presidente de Câmara, tenha feito algo para que a decisão não fosse imparcial”, defendeu-se.

Sobre se o juiz devia ter pedido escusa, é algo que deverá ser perguntado ao próprio, acrescentou ainda Paulo Vistas, acusando logo de seguida o ex-autarca: “O que Isaltino está a tentar fazer é condicionar o poder judicial”.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório