Meteorologia

  • 25 JULHO 2017
Tempo
21º
MIN 18º MÁX 23º

Edição

PAN quer "fazer história" e pede voto para evitar maioria socialista

A candidata do Pessoas-Animais-Natureza (PAN) à presidência da Câmara de Lisboa disse hoje que o partido está "em condições de fazer história", elegendo um membro, e pediu votos para evitar mais uma maioria do PS.

PAN quer "fazer história" e pede voto para evitar maioria socialista
Notícias ao Minuto

21:27 - 17/07/17 por Lusa

Política Autárquicas

"Para que possamos lutar em prol da cidade de Lisboa, é preciso que votem no PAN. É preciso que encarem este desafio com a convicção de que estamos com as condições de voltar a fazer história, neste caso na cidade de Lisboa, e conseguir pela primeira vez alcançar um lugar no executivo municipal", afirmou Inês Sousa Real, que falava na apresentação da candidatura, na sede do partido, em Lisboa.

"Somos realistas, obviamente, e encaramos este desafio com humildade, mas também com a convicção e determinação de que podemos e iremos fazer a diferença nos próximos quatro anos na cidade de Lisboa com este lugar de vereação", acrescentou a também ex-provedora dos animais da capital.

Recordando os resultados das eleições autárquicas de 2013, na qual o PS -- cuja lista integrou os movimentos Cidadãos por Lisboa e Lisboa é muita gente --, conseguiu maioria na Câmara e na Assembleia Municipal, Inês Sousa Real sublinhou que "sucessivos governos de maioria absoluta têm demonstrado o resultado dessa gestão distante das realidades e das reais necessidades da população, sem capacidade de ouvir e integrar as diferentes visões para a cidade, fechando-se em si mesmos".

"Nestas autárquicas, é importante que não deem a maioria absoluta ao futuro executivo e que depositem o voto útil no PAN", vincou.

De acordo com a candidata, o programa eleitoral do PAN para as eleições autárquicas de 01 de outubro é "centrado numa cidade para as pessoas e de respeito pelos animais e pela natureza".

Enumerou, por isso, medidas para uma "democracia mais participativa e transparente", de mitigação às alterações climáticas e de promoção do transporte público.

No que toca aos animais, propôs a instalação de um ecoparque em Lisboa com um santuário animal e a criação de um hospital veterinário público.

Presente na ocasião, o deputado do PAN na Assembleia da República, André Silva, sublinhou que "há cada vez mais pessoas que se sentem representadas" pelo partido, razão pela qual serão apresentadas candidaturas em 31 municípios do país.

Falando sobre a candidata em Lisboa, Inês Sousa Real, disse que o partido tudo fará que Inês Sousa Real "seja eleita a primeira vereadora do PAN".

Relativamente à Assembleia Municipal de Lisboa, o partido vai recandidatar Miguel Santos, único deputado do PAN naquele órgão deliberativo.

"Não queremos que o Miguel Santos continue sozinho", vincou André Silva, aludindo ao objetivo de passar a ter três eleitos.

Além da Câmara e da Assembleia Municipal, o PAN vai ainda apresentar candidatos a 12 das 24 Juntas de Freguesia da cidade, adiantou.

Intervindo na apresentação, Miguel Santos salientou que o partido quer "fazer mais e melhor" na Assembleia Municipal, o que já "poderia ter sido feito se o PS tivesse colaborado mais com o PAN".

Para a corrida autárquica na capital foram já anunciadas, além de Inês Sousa Real, as candidaturas da líder do CDS, Assunção Cristas; do comunista João Ferreira; do bloquista Ricardo Robles; da social-democrata Teresa Leal Coelho; do atual presidente do município, Fernando Medina (PS); de Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!) e do ex-autarca socialista Carlos Teixeira (independente apoiado pelo PDR e pelo JPP).

Campo obrigatório