Meteorologia

  • 14 JUNHO 2024
Tempo
26º
MIN 15º MÁX 26º

Livre na Madeira destaca JPP "vencedor" e "caminho a percorrer"

A cabeça de lista do Livre às regionais antecipadas na Madeira considerou hoje que o Juntos Pelo Povo (JPP) foi o "grande vencedor" das eleições de domingo, admitindo que o seu partido tem ainda "muito caminho a percorrer".

Livre na Madeira destaca JPP "vencedor" e "caminho a percorrer"
Notícias ao Minuto

06:51 - 27/05/24 por Lusa

Política Eleições

"O Livre conseguiu manter um eleitorado, quando comparamos a nível de crescimento de votos, por exemplo, com os partidos que estão no governo, ou seja, na Assembleia [Regional]", afirmou Marta Sofia Silva, acrescentando que "o JPP foi, sem sombra de dúvida, o grande vencedor, porque conseguiu ir buscar votos [...] a vários lados".

A candidata do Livre falava à Lusa após serem conhecidos os resultados das eleições regionais antecipadas para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, que o PSD venceu com 36,13% dos votos, mas sem maioria absoluta.

"Em termos gerais, não me surpreende que o PSD tenha ganho, não me surpreende a abstenção, surpreende-me sim, quando vamos ver a nível de votos, o decréscimo enorme que houve de partidos, dentro da dicotomia de esquerda/direita, terem perdido imensos votos", frisou Marta Sofia, lamentando, no entanto, a abstenção, que foi de 46,60%, de acordo com os dados provisórios da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna.

Os resultados eleitorais deixam "muitas dúvidas em como" é que Miguel Albuquerque conseguirá formar governo, quando há quem se recuse a viabilizar a sua liderança do executivo, como o Chega, que manteve quatro deputados, acrescentou.

Para Marta Sofia, caso fosse eleito para o parlamento regional, o Livre iria dar "força e esperança às pessoas, porque como partido muito recente" tem "ainda muito caminho a percorrer", mas os votos obtidos "não vão ser abandonados, nem atraiçoados".

"A Madeira continua sem saber, os madeirenses e porto-santenses continuam sem saber como é que se vai governar, vamos ver nos próximos dias", apontou.

A candidata assegurou que "o trabalho do Livre vai continuar no terreno" e, "perante este cenário, pode e deve ser a alternativa de esquerda que falta", mesmo quando em campanha viu que "as pessoas estavam mesmo saturadas" de tantas eleições.

Marta Sofia, profissional de cultura, liderou a lista do Livre, partido que se estreou em eleições regionais na Madeira em setembro de 2023, obtendo 858 votos (0,65%), num universo de 135.446 votantes, e nas eleições deste domingo conseguiu 991 votos (0,67%).

Segundo os resultados provisórios, o PSD venceu as eleições regionais antecipadas com 49.103 votos (36,13%), elegendo 19 deputados, o PS manteve 11 deputados, com 28.981 votos (21,32%), o JPP obteve 22.958 votos (16,89%), passando para nove deputados, e Chega, com 12.541 votos (9,23%), manteve os quatro mandatos.

O CDS-Partido Popular obteve 5.384 votos (3,96%), elegendo dois deputados, a Iniciativa Liberal (IL) manteve um deputado, com 3.482 votos (2,56%), assim como o Pessoas-Animais-Natureza (PAN), com 2.531 votos (1,86%).

A CDU - Coligação Democrática Unitária (PCP-PEV) perdeu o deputado no parlamento regional, ao conseguir apenas 2.217 votos (1,63%), bem como o Bloco de Esquerda (BE), com 1.912 votos (1,41%).

Dos 254.522 eleitores inscritos para as eleições antecipadas à Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, houve 135.909 votantes (53,40%).

Nestas eleições regionais antecipadas apresentaram-se a votos 14 candidaturas, das quais também não conseguiram eleger deputados o Partido Trabalhista Português (PTP), que teve 1.222 votos (0,90%), Alternativa Democrática Nacional (ADN), com 772 (0,57%), Partido da Terra (MPT), com 577 (0,42%) e Reagir Incluir Reciclar (RIR), com 527 (0,39%).

Leia Também: PTP lamenta que madeirenses se tenham habituado a viver com "corrupção"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório