Meteorologia

  • 06 JULHO 2022
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 34º

Ventura diz que debate foi "virar de página" que pode ajudar a direita

O presidente do Chega, André Ventura, afirmou hoje que o debate televisivo entre todos os partidos com assento parlamentar na segunda-feira foi "um virar de página" que pode ajudar a direita a ganhar as legislativas.

Ventura diz que debate foi "virar de página" que pode ajudar a direita
Notícias ao Minuto

17:57 - 18/01/22 por Lusa

Política CHEGA

"Creio que houve aqui um virar de página que pode ajudar a direita a ganhar a dinâmica para vencer as eleições de dia 30", disse André Ventura, antes do arranque da arruada do Chega em Aveiro.

Para o líder do Chega, no debate televisivo na RTP, que decorreu na segunda-feira, as posições quer no que toca à área económica, à saúde ou mesmo à governabilidade, mostraram "uma direita que conseguiu estar mais ou menos comum nas críticas e na solução".

"Posso estar enganado -- e acho que é Rui Rio que tem que responder a isto -, mas pareceu-me que temos caminho para andar", frisou o presidente daquele partido de extrema-direita.

Segundo André Ventura, não vale a pena "ter ilusões", já que "não haverá Governo sem o PSD", mas também "sem o Chega, assim Rui Rio perceba o que aconteceu ontem [segunda-feira]", considerando que o debate também mostrou um "António Costa que não conseguia dizer com quem vai governar nem como".

"Se nós dermos uma perceção que, com todas as diferenças que temos, conseguimos formar um Governo à direita, acho que todos ganhamos com isso", disse André Ventura, que ainda no domingo, foi crítico do líder do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, que apelidou de "Chiquinho", e de Rui Rio, que já chamou de "mordomo de António Costa" e que o acusou o presidente do PSD de que gostaria de ser "líder do Partido Socialista".

Questionado pelos jornalistas se houve um esforço de moderação da sua parte, André Ventura respondeu que "não há esforço", antes "uma perceção" de que têm de se construir pontes.

"Se todos tivermos o cuidado devido ao longo dos próximos dias, acho que há caminho para se fazer, se pusermos o objetivo principal -- afastar António Costa -- acima das nossas diferenças", frisou.

Questionado por várias vezes sobre que ministério gostaria de assumir caso o Chega fizesse parte de um Governo de direita, André Ventura escusou por várias vezes responder à pergunta, referindo que não quer criar "mais elementos de fricção".

No entanto, voltou a defender que o Chega quer as pastas da Agricultura, Segurança Social, Justiça e Administração Interna.

[Notícia atualizada às 18h24]

Leia Também: Ventura diz que Chega vai cumprir "obrigações" quando à sede em Évora

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório