Meteorologia

  • 23 MAIO 2022
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 22º

Rui Rio e Paulo Rangel disputam hoje liderança do PSD em eleições diretas

O atual líder do PSD, Rui Rio, e o eurodeputado Paulo Rangel disputam hoje a presidência do partido, em eleições diretas em que podem votar perto de 46.000 militantes.

Rui Rio e Paulo Rangel disputam hoje liderança do PSD em eleições diretas
Notícias ao Minuto

06:05 - 27/11/21 por Lusa

Política PSD

De acordo com o site do PSD, o universo eleitoral para as décimas eleições diretas do partido é de 45.973 militantes, aqueles que têm as quotas em dia para poder votar.

A eleição decorre em todo o país entre as 14:00 e as 20:00 e, a partir do fecho das urnas, a secretaria-geral do PSD irá disponibilizar a evolução dos resultados das eleições em tempo real no site https://resultados.psd.pt, assim como o histórico das eleições anteriores.

Na sede nacional do partido, em Lisboa, uma equipa vai receber os resultados de todas as secções onde existem mesas de voto, que lançará no portal de resultados, sendo esta a segunda vez que o PSD disponibiliza os resultados das suas eleições diretas em tempo real.

Os dois candidatos votarão na mesma secção, na sede distrital do PSD-Porto, sendo Paulo Rangel o primeiro, pelas 14:00, com Rui Rio a exercer o direito de voto uma hora mais tarde, às 15:00.

O eurodeputado rumará depois a Lisboa, onde vai acompanhar os resultados num hotel da capital, enquanto o presidente do PSD escolheu um hotel do Porto (como fez nas duas anteriores eleições diretas) para a sua noite eleitoral.

Para Rui Rio, serão as suas terceiras diretas, tendo derrotado em 2018 Pedro Santana Lopes por 54% e em 2020 Luís Montenegro por 53%, numa inédita segunda volta no PSD.

Já Paulo Rangel disputará pela segunda vez a presidência do PSD, depois de ter concorrido em 2010 contra Aguiar-Branco e Pedro Passos Coelho, que este venceu com mais de 60% dos votos após uma derrota dois anos contra Manuela Ferreira Leite.

Desde que foram introduzidas as diretas no PSD, em 2006, apenas um presidente em exercício se recandidatou e perdeu - Marques Mendes -, e dois recandidataram-se e ganharam, Pedro Passos Coelho e Rui Rio.

A vitória de Rui Rio sobre Luís Montenegro há dois anos na segunda volta por cerca de 53,2% dos votos contra 46,8% foi a mais curta de sempre entre os dois primeiros candidatos em eleições diretas na história do PSD, uma diferença de pouco mais de seis pontos percentuais e de 2.071 votos.

A 'chave' do resultado eleitoral deverá voltar a estar, como habitualmente, nas quatro maiores distritais do PSD: Porto, Braga, Lisboa e Aveiro registam, por esta ordem, o maior número de militantes em condições de votar, centralizando 53,5% do total (um pouco menos que os 57% de há dois anos), seguidas pela Madeira com quase 6% do total dos votos.

O apoio da maioria do "aparelho" a Rangel é reconhecido pelas duas candidaturas, com Rio a manifestar-se confiante de que "o voto livre" estará consigo e Rangel a rejeitar essa dicotomia entre "militantes livres e militantes escravos".

Durante a campanha interna, o tema da governabilidade esteve quase sempre no centro das diferenças entre os dois: o presidente do PSD e recandidato foi manifestando abertura para entendimentos com o PS que permitissem viabilizar governos minoritários de um ou de outro para, pelo menos, por meia legislatura, enquanto o eurodeputado nunca esclareceu se viabilizaria um Governo minoritário do PS, rejeitando teorizar sobre cenários em que o PSD fica em segundo lugar.

Rangel foi repetindo que o seu objetivo nas legislativas é "uma maioria estável", de preferência absoluta, embora também admitindo governar em minoria.

Ambos aceitam coligações com CDS-PP e IL após as eleições - Rio admite ainda um entendimento pré-eleitoral com os democratas-cristãos, Rangel prefere ir sozinho a votos - e os dois rejeitaram que o Chega possa ser incluído no Governo.

Se perder hoje as diretas, o atual presidente já disse que "acaba aqui" o seu percurso político, não pretendendo voltar a ser deputado. Já Rangel, se for derrotado, cumprirá o seu mandato de eurodeputado até 2024.

Leia Também: Rio. Estratégia de "recentrar PSD" é que vai permitir vencer legislativas

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2022 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório