Meteorologia

  • 21 NOVEMBRO 2019
Tempo
14º
MIN 12º MÁX 16º

Edição

Do "tiro" ao "miserável". Políticos portugueses unem-se à Catalunha

As ruas de várias cidades espanholas têm estado repletas de pessoas que não aceitam a decisão judicial do Tribunal Supremo. As manifestações já provocaram dezenas de feridos e obrigaram ao cancelamento de mais de 100 voos.

Do "tiro" ao "miserável". Políticos portugueses unem-se à Catalunha

O Tribunal Supremo espanhol condenou, na segunda-feira, os principais dirigentes políticos que estiveram envolvidos na tentativa de independência da Catalunha a penas que vão até 13 anos de prisão.

Em reação à notícia que preencheu – e hoje continua a preencher – o noticiário português, o deputado do PS, Porfírio Silva, recorreu às redes sociais para abordar o tema, considerando que o “problema do nacionalismo é um problema político” e que a “sua judicialização só serve os nacionalismos mais ferozes”.

Face ao exposto, o socialista considerou que as penas “pesadíssimas” aplicadas ontem pelo Supremo espanhol só “servem a eternização do confronto entre o nacionalismo espanhol radical e o nacionalismo catalão radical”, não deixando de apontar que os “tribunais também têm responsabilidades que, em sentido lato, são políticas” pois a sentença aplicada ontem, considerou, foi um “tiro no coração da política democrática”.

Da bancada do Partido Socialista destaque ainda para a reação de Isabel Moreira que, ao partilhar uma notícia sobre o tema, escreveu no Facebook que se trata de uma situação de “direito não Direito”, e destaque para o também socialista Tiago Barbosa Ribeiro.

O deputado que se viu envolvido no caso Tancos devido a uma mensagem escrita que lhe terá sido enviada por Azeredo Lopes a propósito do furto das armas, critica a sentença do Tribunal Supremo espanhol, pois os condenados apenas, “cumprindo o mandato para o qual foram eleitos, levaram a cabo uma consulta popular voluntária, pacífica e de valor essencialmente moral”.

Sobre as penas de prisão aplicadas, Tiago Barbosa Ribeiro destaca a “desproporção” das mesmas que, adverte, “dificulta qualquer solução duradoura que tem necessariamente de passar pelo diálogo”.

Hoje há ‘Concentração Contra a Repressão Espanhola’ em Lisboa

O Bloco de Esquerda organizou, para as 19h00 desta terça-feira, uma manifestação de apoio aos condenados catalães. A ‘Concentração Contra a Repressão Espanhola’ vai ter lugar na Avenida da Liberdade, junto ao Consulado Espanhol, como muitos bloquistas têm estado a partilhar nas redes sociais.

E as redes sociais têm sido o veículo que muitos bloquistas têm utilizado para expressar o seu ponto de vista sobre esta situação.

Enquanto Luís Monteiro fez acompanhar uma foto pela frase “Por cada preso político, mil se levantarão”, Joana Mortágua partilhou um vídeo ao qual acrescentou na legenda que se trata de “rios de solidariedade com os presos políticos da Catalunha”.

José Soeiro descreveu a sentença do Tribunal Supremo espanhol como “miserável” e mostrou o seu apoio aos que bloquearam o aeroporto de Barcelona como forma de protesto: “Pela democracia, liberdade para os presos políticos catalães”.

Por fim, Moisés Ferreira escreveu no Facebook que no “Estado Espanhol, aqui mesmo ao lado, existem presos políticos. Hoje foram sentenciados a penas pesadíssimas. O crime? Organizaram um referendo para que o povo catalão pudesse exprimir nas urnas a opinião sobre o futuro do seu território. O crime? Pugnar pela autodeterminação e resistir, no dia 1 de outubro de 2017, à repressão policial sobre quem exercia o seu direito de voto”.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório