Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2018
Tempo
22º
MIN 22º MÁX 22º

Edição

Tancos: PCP quer ir mais longe nas responsabilidades políticas

O PCP viabilizará a proposta do CDS-PP para uma comissão de inquérito ao caso de Tancos apesar de considerar que é uma iniciativa precipitada e com "agenda política", sugerindo o apuramento das responsabilidades políticas de "sucessivos Governos".

Tancos: PCP quer ir mais longe nas responsabilidades políticas
Notícias ao Minuto

13:00 - 26/09/18 por Lusa

Política Polémica

Em declarações aos jornalistas no parlamento, o deputado comunista Jorge Machado disse que o PCP "não colocará obstáculo" à iniciativa do CDS-PP, sugerindo contudo que "seria mais prudente" aguardar pelo fim da investigação criminal para que os grupos parlamentares pudessem ter acesso a dados que hoje estão em segredo de justiça.

"A iniciativa parece-nos precipitada e claramente forçada por uma agenda política do CDS-PP, que fica muito aquém daquilo que seriam as expectativas uma vez que a informação relevante não está acessível", disse Jorge Machado.

Considerando que "a justiça está a funcionar" e que "isso é positivo", Jorge Machado sustentou que uma comissão de inquérito deve apurar não só as responsabilidades políticas do atual Governo e do ministro da Defesa Nacional e das "altas estruturas do Exército", mas também as responsabilidades de "sucessivos Governos do PS, PSD e CDS".

"Parece-nos que o Ministério da Defesa Nacional tem tido um comportamento muito aquém do desejável", considerou, reiterando recear que a responsabilidade "vá morrer no praça ou no sargento que estava de vigia naquele dia e não nos responsáveis da alta estrutura militar que permitiram que a estrutura de Tancos chegasse ao ponto que chegou".

O deputado do PCP considerou que as detenções ocorridas na terça-feira no âmbito de uma investigação ao aparecimento do material roubado em Tancos -- quatro elementos da Polícia Judiciária Militar, incluindo o diretor, três da GNR e um civil -- "são factos muito graves".

Jorge Machado advertiu que "a Assembleia da República não pode de forma alguma imiscuir-se" no processo judicial em curso, a comissão parlamentar de inquérito fica "de alguma forma limitada".

O líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, anunciou na terça-feira que irá propor uma comissão de inquérito ao furto de material de guerra dos paióis de Tancos, justificando a proposta com a necessidade de apurar "responsabilidades políticas" neste caso, em que acusou o Governo de "omissões e contradições".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório