Meteorologia

  • 22 ABRIL 2024
Tempo
24º
MIN 14º MÁX 27º

Pedro Dias "ficou devastado" com a morte de Liliane Pinto

O julgamento do ‘piloto’ decorre no Tribunal da Guarda.

Pedro Dias "ficou devastado" com a morte de Liliane Pinto
Notícias ao Minuto

17:23 - 28/11/17 por Patrícia Martins Carvalho

País Aguiar da Beira

Pedro Dias está a ser julgado por vários crimes, entre os quais três homicídios cometidos em Aguiar da Beira. O julgamento arrancou a 3 de novembro, mas o arguido ainda não quis falar.

Em declarações proferidas hoje aos jornalistas, à saída do Tribunal da Guarda, a advogada de defesa do suspeito, Mónica Quintela, garantiu que o seu cliente vai falar em tribunal, mas escusou-se a garantir que será feita uma confissão.

No entanto, a causídica assegurou que Pedro Dias “ficou devastado” quando soube que Liliane Pinto havia morrido porque “contava com ela” para a sua defesa.

Recorde-se que Liliane Pinto morreu meses depois de ter sido, alegadamente, atacada por Pedro Dias na Estrada Nacional 229 em Aguiar da Beira. A vítima seguia com o marido para Coimbra quando foram abordados pelo ‘piloto’. Luís Pinto morreu no local e Liliane ficou gravemente ferida, tendo sofrido um traumatismo crânio-encefálico na sequência das várias pancadas que levou na cabeça.

Mónica Quintela justificou ainda o momento em que Pedro Dias se exaltou durante a audiência, dizendo que o seu cliente tem ouvido “comentários” que o têm perturbado.

O julgamento começou a 3 de novembro e seria de esperar que Pedro Dias falasse hoje em tribunal, mas tal não aconteceu. No entanto, Mónica Quintela e Rui Silva Leal, os dois advogados do arguido, garantem que Pedro Dias falará antes do fim do julgamento.

Pedro Dias está acusado de três crimes de homicídio qualificado sob a forma consumada, três crimes de homicídio qualificado sob a forma tentada, três crimes de sequestro, crimes de roubo de automóveis, de armas da GNR e de quantias em dinheiro, bem como de detenção, uso e porte de armas proibidas.

Recomendados para si

;
Campo obrigatório