Meteorologia

  • 20 JULHO 2017
Tempo
23º
MIN 20º MÁX 25º

Edição

Homossexualidade: Declarações de Gentil Martins "não foram muito felizes"

Ordem dos Médicos não se revê nas declarações de Gentil Martins sobre homossexualidade e vai analisar as queixas que sejam formalizadas contra o cirurgião.

Homossexualidade: Declarações de Gentil Martins "não foram muito felizes"
Notícias ao Minuto

20:20 - 15/07/17 por Melissa Lopes

País Polémica

A polémica instalou-se. O cirurgião Gentil Martins, de 87 anos, deu uma entrevista ao Expresso onde afirmou que não acha a homossexualidade algo correto. "É uma anomalia, é um desvio de personalidade. Como os sadomasoquistas ou as pessoas que se mutilam", disse Gentil Martins.

Contactado pelo Notícias ao Minuto, o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães revela que duas médicas já manifestaram intenção de apresentar queixa contra Gentil Martins. A serem formalizadas, essas queixas serão posteriormente analisadas pelo Conselho de Jurisdição da Ordem.

Miguel Guimarães refere que estas declarações podem ser analisadas de dois pontos de vista: como médico e como cidadão. "Como cidadão normal, tem liberdade de expressão como todos nós e pode ter a ideia que entender sobre a questão da homossexualidade. Como médico, é mais complicado, temos de ter um comportamento na sociedade que seja um comportamento de respeito para com todas as pessoas e grupos, todas as orientações sexuais", entende o bastonário.

De qualquer forma, e salvaguardando que ainda não havia lido a entrevista na íntegra, Miguel Guimarães considera que as declarações "não foram muito felizes". "Porque a homossexualidade é uma questão de orientação sexual e diz respeito a cada um", justifica, deixando claro a posição da Ordem dos Médicos sobre o assunto: "O pensamento do doutor Gentil Martins não é seguramente a posição que a Ordem tem. Irei falar com os meus colegas do Conselho porque valerá a pena dizer isso em termos de comunicação. O doutor pode ter a liberdade e ter a sua opinão, mas a Ordem dos Médicos não se revê neste tipo de declarações", sublinha Miguel Guimarães, garantindo que vai reunir com os colegas da direção nacional na segunda-feira. 

A deputada socialista Isabel Moreira já havia também criticado as declarações de Gentil Martins. "Estas declarações violam a deontologia médica e têm consequências negativas, graves, gravíssimas, se passam como " se nada fosse". Chega!", escreveu na sua página de Facebook. 

Quanto à outra parte polémica da entrevista de Gentil Martins, aquela em que o médico disse que Cristiano Ronaldo era um "estupor moral" por privar a mãe biológica dos filhos, sendo esta uma questão médica, Miguel Guimarães responde que "Ronaldo é livre de fazer a sua vida como entender".

"Esta questão das barrigas de aluguer é uma questão polémica, que não é consensual, mas que está legislada em Portugal, nos Estados Unidos há muitos anos. É uma opção que o Cristiano Ronaldo teve e que utilizou. Está no direito. Não faz qualquer sentido qualquer pessoa que seja meter-se na vida pessoal dele. Qualquer pessoa tem as suas opções e é livre de as ter. Ele lá saberá como é a vida dele", conclui.

Campo obrigatório