Medina defende melhoria das acessibilidades ao metro antes de expansão

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, considerou hoje que o Metro de Lisboa "não tem bons acessos" às plataformas e que a melhoria da acessibilidade é "um elemento central", ainda antes da expansão.

© Global Imagens
País Lisboa

Durante a reunião descentralizada de Câmara, cuja ordem de trabalhos de hoje se focou na audição dos munícipes das freguesias de Carnide e São Domingos de Benfica, uma munícipe expôs ao executivo as dificuldades de acessibilidade às estações de metro de Alto dos Moinhos e Laranjeiras, que não dispõem de elevador em funcionamento.

PUB

Na opinião de Fernando Medina, Lisboa "não tem bons acessos da superfície ao metro", no geral.

"Fez-se um investimento muito grande no subterrâneo, e não se fez o investimento adequado em fazer os elevadores e os meios para que as pessoas pudessem chegar com conforto, e de forma adequada, às plataformas", concretizou.

Assim, o presidente do executivo municipal, de maioria socialista, considerou que a melhoria das acessibilidades às estações é um "elemento central".

"Continuaremos sempre a bater-nos junto da tutela para que isto seja uma prioridade, antes até dos elementos de expansão da rede", salientou, em resposta à munícipe.

Ainda na reunião, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa afirmou hoje que os passes navegante, que incluem a Carris, o Metro e os comboios, irão custar 15 euros para os idosos, medida que entrará em vigor a 01 de fevereiro.

"O que propusemos, e foi aceite, é que para os reformados e pessoas com mais de 65 anos o [passe] navegante passe a ter um valor de 15 euros, abaixo dos 50% [do preço total] para todas das pessoas, independentemente da sua condição económica", disse Fernando Medina na reunião descentralizada da câmara.

Com os aumentos que entraram em vigor este ano, o passe navegante urbano (para os circuitos de Lisboa) custa 36,20 euros sem qualquer desconto, e permite a circulação de Metro, autocarro (Carris) e comboio (Comboios de Portugal - CP).

O Governo e a Câmara Municipal de Lisboa (CML) assinaram na segunda-feira um memorando da passagem de gestão da rodoviária Carris para a autarquia, a partir de 01 de fevereiro.

Na cerimónia, o presidente da CML, Fernando Medina, anunciou um reforço de 250 novos autocarros nos próximos três anos para a cidade, num investimento de 60 milhões de euros, a contratação de 220 motoristas e a criação de 21 novas linhas.

O autarca anunciou ainda passes gratuitos para crianças até aos 12 anos e descontos para os idosos, além da criação de uma "rede de bairros" onde serão criadas carreiras para ligar os principais pontos de cada zona.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser