Cidadãos em frente à Assembleia contra privatização da água

Cerca de uma centena de cidadãos concentraram-se hoje em frente à Assembleia da República, em Lisboa, para defenderem o acesso das populações à água pública e criticando o facto de este recurso estar a ser "furiosamente privatizado".

© Reuters
País Lisboa

Presente na iniciativa, o secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, afirmou à agência Lusa que o objetivo é "chamar à atenção para a importância da defesa da água pública como um património de todos e para todos, que deve estar ao serviço das populações e também do desenvolvimento do país, e não subordinado a outros interesses e lógicas, nomeadamente de negócios privados".

PUB

No âmbito da campanha "Água é de todos", a iniciativa pretendeu "apelar aos deputados" para que retomem e aprovem o projeto de lei "Proteção dos direitos individuais e comuns à água", resultado de uma iniciativa legislativa de cidadãos, subscrita por 44 mil cidadãos eleitores.

Segundo a presidente da Associação Água Pública (AAP), Luísa Tovar, a ação de hoje é "uma pequena formalização" da reentrega do projeto de lei à Assembleia da República.

A responsável da AAP recordou que o projeto em causa foi chumbado a 10 de outubro de 2014 pela maioria PSD/CDS, mas contou com o voto favorável de PS, PCP, BE e PEV.

"Todos os partidos agora se mostraram interessados em falar connosco, exceto o PSD, que não deu resposta", adiantou Luísa Tovar.

Para a presidente da AAP, a aprovação deste projeto de lei "trava coisas muito más que estão a acontecer e faz reverter uma maior atenção sobre os direitos das pessoas à água e protege esses direitos".

"A água é um domínio público", frisou Luísa Tovar, acrescentando que é "muito importante o abastecimento da água e o saneamento, mas também os rios e as praias".

 

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS