Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2021
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 23º

Edição

ONG juntam-se a campanha europeia contra menos proteção da natureza

Entidades ambientais portuguesas, reunidas na coligação C6, juntam-se a organizações europeias e lançam hoje a campanha SOS Natureza, que apela a todos os cidadãos a manifestarem-se contra o enfraquecimento das leis de proteção do ambiente.

ONG juntam-se a campanha europeia contra menos proteção da natureza
Notícias ao Minuto

11:51 - 12/05/15 por Lusa

País SOS

A campanha pretende "incentivar os cidadãos a expressar uma opinião clara em favor da conservação da natureza e contra a alteração das diretivas Aves e Habitats", refere uma informação divulgada pelas seis organizações portuguesas que compõem a Coligação e que fazem parte do grupo de 90 organizações não governamentais do movimento.

O objetivo, dizem, é que os cidadãos de todos os países da União Europeia transmitam a sua posição "contra o enfraquecimento das leis" que protegem a natureza e que "a Comissão Europeia, liderada pelo Presidente Juncker, pretende implementar", colocando "em risco" a conservação da natureza como existe atualmente.

A campanha será sobretudo divulgada através das redes sociais e procura reunir o maior número possível de cidadãos "contra eventuais alterações às leis que protegem a natureza", referem as entidades que formam o C6 - Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), Liga para a Proteção da Natureza (LPN), Quercus, WWF Portugal, Grupo de Estudos do Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA) e Fundo para a Proteção dos Animais Selvagens (FAPAS).

A justificação das ONG para este movimento refere que "a Comissão Europeia decidiu proceder a uma avaliação aprofundada de ambas as diretivas para determinar se elas são eficazes na proteção da natureza", um processo que os ambientalistas consideram estar a acontecer "num contexto claramente hostil à conservação da natureza".

As organizações salientam mesmo que "o presidente Juncker é conhecido por ser 'business-friendly' e anti-preocupações ambientalistas, portanto não se preveem melhorias, mas sim uma flexibilização negativa" que dizem ser "em prole de um desenvolvimento económico a qualquer custo".

Para os ambientalistas europeus, as leis de defesa da natureza na Europa são "reconhecidas como sendo das mais eficazes em todo o mundo" para proteger animais, plantas e habitats ameaçados.

A União Europeia tem a maior rede mundial de áreas protegidas, a Rede Natura 2000, que abrange cerca de um quinto da área terrestre e 4% das áreas marinhas europeias.

As ONG realçam ainda que o processo de consulta pública permite aos cidadãos participar e manifestar a sua opinião sobre estas matérias até 24 de julho.

Em Portugal, as diretivas de conservação da natureza "permitiu salvar da extinção alguns dos animais mais emblemáticos, como a águia-imperial ou o lince ibérico, e, sem elas, teríamos uma natureza mais pobre e com mais poluição e não teríamos as magníficas paisagens que ainda temos e que são promovidas como estandartes turísticos de um país protegido e saudável", salienta a Coligação.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório