Meteorologia

  • 20 MAIO 2024
Tempo
16º
MIN 13º MÁX 21º

Democracia é um "edifício" a necessitar de obras

O antigo primeiro-ministro Francisco Pinto Balsemão afirmou hoje que, 40 anos depois, a democracia é um "edifício" que necessita de obras de remodelação, ampliações, novas canalizações, painéis solares no telhado e sistemas de acesso a futuras tecnologias.

Democracia é um "edifício" a necessitar de obras
Notícias ao Minuto

21:28 - 16/04/15 por Lusa

País Pinto Balsemão

O também fundador do PSD frisou que, apesar de precisar de modificações, a democracia "não está gasta, nem ultrapassada".

"A democracia não pode ser apenas formal e política, só existindo se for económica, social e cultural", afirmou durante a conferência "40 Anos da Assembleia Constituinte", no Porto.

Segundo Pinto Balsemão, para a revitalização da democracia é necessário "pôr de lado a mentalidade conservadora dos detentores dos poderes de todos os signos" que não conseguem rever uma constituição "desadequada da realidade" ou não conseguem produzir uma lei eleitoral que responsabilize os eleitos perante os eleitores.

A "nova era da democracia" deve distinguir o "essencial do acessório", contar com "jovens e velhos", independentemente das suas escolhas ideológicas, e introduzir novas modalidades da participação política dos cidadãos que lutem contra o abstencionismo, entendeu.

Pinto Balsemão lembrou que existem "novas gerações de políticos" em todos os partidos aos quais é preciso "dar espaço e tempo" para se afirmarem.

"Quem tem menos de 40 anos tem de estar preparado para tomar os postos de comando, aliás quem acompanhou a comissão parlamentar de inquérito do BES concordará que existem hoje, em 2015, vários e várias jovens políticas com valor, garra e boa preparação", disse.

O social-democrata afiançou que a "velha história" de transformar todos os jovens que aspiram à política em `boys e girl´ [rapazes e raparigas] é um expediente para arrumar porque é uma tese sem sentido.

Por seu lado, o antigo eurodeputado do PS Vital Moreira considerou que a constituição mantém-se "viva e de razoável saúde".

O socialista recordou que a constituição foi elaborada ainda com a revolução em marcha.

A Assembleia Constituinte tinha uma composição diferente da do Parlamento de hoje, disse.

"Éramos mais jovens, tínhamos dez anos a menos do que os deputados de hoje, havia menos mulheres, uma elite de académicos e operários e trabalhadores", relembrou.

O equilíbrio de classes sociais era uma característica única e não durou, afiançou.

Em termos de composição partidária, Vital Moreira salientou que era "semelhante" à dos dias de hoje, situação que não tem paralelo em "muitos sistemas constitucionais".

Recomendados para si

;
Campo obrigatório