Meteorologia

  • 12 AGOSTO 2020
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 26º

Edição

Erro na colocação de professores resolvido com 'cortes' na matéria

Alunos de todo o país continuam sem professor um mês depois do início das aulas. Para compensar os estudantes que já se encontram com matéria em atraso, vários agrupamentos escolares estão a ponderar retirar do programa matérias que não sejam essenciais, revela o Diário de Notícias.

Erro na colocação de professores resolvido com 'cortes' na matéria

Com um mês de aulas que já passou e muitos alunos sem professores a várias disciplinas, existem agrupamentos escolares que já estão a procurar soluções para fazer frente a esta falha. Cortar na matéria escolar e tentar eliminar conteúdos que não sejam essenciais é uma das opções, que já foi adotada, por exemplo, no Agrupamento Dr. Azevedo Neves, na Amadora.

Neste estabelecimento de ensino, reporta o Diário de Notícias, o conselho pedagógico já foi convocado para que os professores decidam que matéria é essencial e que matéria pode ficar de fora, pois, afirma o diretor José Biscaia, não pode esperar-se “por uma solução do ministério”. Além disso, e embora haja a alternativa das aulas de compensação, o diretor lembra que nem sempre será possível os alunos estarem presentes em todas as aulas de compensação por já terem outras atividades de ensino paralelas.

Outros agrupamentos estão a ponderar a mesma situação, considerando-a plausível, mas nem todos partilham da mesma opinião. O diretor do Agrupamento de Cinfães e da Associação Nacional de Dirigentes Escolares, Manuel Pereira, diz não estar “disponível para cortar e prejudicar um aluno por causa desta confusão toda”.

Facto é que a situação só deverá estar resolvida daqui a três semanas. Por este motivo, não são só os docentes se mostram preocupados, como também pais e encarregados de educação procuram soluções. Para estes, tendo em conta o atraso no calendário escolar, também os exames de fim de ano deveriam ser adiados para poder haver consolidação da matéria. Esta proposta será entregue no Ministério da Educação.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório