Meteorologia

  • 25 FEVEREIRO 2024
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 17º

"Não quero que chorem, quero uma cerimónia simples e alegre"

Manuel Forjaz sucumbiu ao cancro que o tornou uma fonte de inspiração para milhares de pessoas. Aos 50 anos, morreu em Lisboa, no passado fim-de-semana. Numa última mensagem, já publicada pelos seus filhos no Facebook, pode ler-se que faleceu “com fé profunda e sem sofrimento, foi em paz, em casa, no seu sofá”.

Notícias ao Minuto

09:48 - 07/04/14 por Notícias ao Minuto

País Manuel Forjaz

Aos 50 anos, Manuel Forjaz faleceu de cancro no pulmão, uma luta que enfrentava há cinco anos. Querido por todos, é homenageado por família e amigos.

“Hoje às 11h55 o nosso pai foi embora. Com fé profunda e sem sofrimento, foi em paz, em casa, no seu sofá. Por favor, vivam a vida, e sorriam…”, foi a mensagem deixada pela família na rede social Facebook, onde tinha milhares de seguidores.

Na última homenagem a Manuel Forjaz, estiveram presentes várias figuras públicas como Helena Sacadura, Ricardo Costa, Emídio Rangel, Rui Pêgo, Júlia Pinheiro, Paula Pires, Catarina Furtado, José Alberto Carvalho e Sofia Grilo.

“Que fique o seu exemplo de coragem, de luta e de esperança”, disse Rui Unas. Já Nuno Santos, ex-diretor de informação da RTP, afirmou que Manuel “sabia o que dizia, quando e porquê”.

O corpo encontra-se na Igreja da Encarnação ao Chiado, em Lisboa, e o funeral terá início às 13h30 de hoje.

“Não quero que chorem, não quero ninguém vestido de preto, não quero caixão aberto, e quero uma cerimónia simples e alegre. O padre será João Seabra e a música ‘Don’t stop believing’”, foram alguns dos pedidos feitos por Manuel.

Recomendados para si

;
Campo obrigatório