Meteorologia

  • 28 JUNHO 2022
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 26º

"Seria incompreensível um novo adiamento na abertura aulas", diz FENPROF

Após a diretora-geral da Saúde ter admitido um possível alargamento das medidas em vigor, que estariam previstas apenas até ao dia 9 de janeiro, a FENPROF afirma que “se isso acontecer, há que reconhecer o fracasso completo do que tem sido a estratégia do governo para as escolas”.

"Seria incompreensível um novo adiamento na abertura aulas", diz FENPROF

Depois de a Direção-Geral da Saúde ter afirmado não se comprometer com o regresso às aulas no dia 10 de janeiro, como inicialmente foi anunciado, Mário Nogueira, membro da Federação Nacional dos Professores, FENPROF, revela que, a seu ver, “seria incompreensível um novo adiamento na abertura aulas”.

Em comentário na CNN, Mário Nogueira, revela que “se isso acontecer há que reconhecer o fracasso completo do que tem sido a estratégia do governo para as escolas, para o ensino”, frisando “as contradições e o ziguezaguear de um discurso” ao longo do último ano.

Aponta que agora se ouve “lamentar que muitos pais não levaram os seus filhos para a vacinação”, contudo, relembra que há um ano o governo “desvalorizava” as infeções de Covid-19 nas faixas etárias até aos 18 anos e afirmava, até: “As crianças não têm qualquer problema, as escolas não são espaços de contágio”.

Mário Nogueira, chama ainda a atenção para o facto de muitos professores não estarem totalmente vacinados, sendo que “50% dos professores” tem mais de 50 anos e estarão a ser chamados para a vacinação, mas a outra metade ainda não. 

Relativamente aos surtos que se registaram nas instituições de ensino, defende que é necessário analisar “o nível de gravidade, se são surtos entre as crianças, qual o número de docentes e outros trabalhadores que também estão infetados”. Embora a FENPROF tenha solicitado esta informação ao Ministro da Educação, apenas depois do pedido ter sido levado a tribunal foi possível obter os dados.

Apesar das tentativas de contacto com o governo, a FENPROF ainda não obteve qualquer resposta. De recordar que o novo ponto de situação entre o governo e os especialistas será feito no dia 5 de janeiro, próxima quarta-feira, onde será tomada uma decisão. 

Leia Também: Regresso às aulas a 10 de janeiro? "Vamos ver", diz Graça Freitas

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório