Meteorologia

  • 27 JANEIRO 2021
Tempo
17º
MIN 14º MÁX 18º

Edição

Governo "empenhado" em defender pesca do bacalhau em Svalbard

O Governo assegurou hoje estar empenhado em defender os interesses dos pescadores portugueses no que se refere à captura de bacalhau no arquipélago de Svalbard, entre a Noruega e o Polo Norte, e pretende que as negociações comecem rapidamente.

Governo "empenhado" em defender pesca do bacalhau em Svalbard
Notícias ao Minuto

20:34 - 14/01/21 por Lusa

País pescadores

"O Ministério do Mar está a acompanhar o evoluir das negociações, mantendo-se firmemente empenhado em defender os interesses dos armadores e pescadores portugueses da pesca do bacalhau no arquipélago de Svalbard e a diligenciar para que as negociações bilaterais entre a UE e a Noruega se iniciem com a maior celeridade possível", sublinhou, em comunicado, o Governo.

As negociações anuais entre a União Europeia (UE) e a Noruega não decorreram em 2020 devido às negociações do 'Brexit' (saída do Reino Unido da UE), tendo os ministros das pescas adotado quotas provisórias para alguns 'stocks' partilhados.

No caso da pesca de bacalhau nas águas de Svalbard foi definida uma quota de acordo com o histórico e regras dos anos anteriores.

Porém, em 21 de dezembro, as autoridades norueguesas publicaram uma nota, através da qual foi atribuída à UE uma quota de 17.885 toneladas de bacalhau para o Svalbard, menos 10.546 toneladas do que tinha sido acordado no Conselho de Ministros de 16 de dezembro.

"O Ministério do Mar, em coordenação com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, tem desenvolvido esforços, ao mais alto nível, para que haja um rápido esclarecimento sobre esta situação, de modo a não ser posta em causa a época de pesca do bacalhau no Svalbard e na Noruega, que, neste último caso, decorre durante os meses de fevereiro, março e abril", sublinhou.

Na terça-feira, o ministro do Mar já tinha admitido a existência de contradições referentes à pesca de bacalhau norueguês, garantindo que estão três cenários em cima da mesa, sendo a decisão unilateral da Noruega a mais penalizadora.

"Percebemos que há contradições no que está em cima da mesa [...]. A quota de bacalhau da Noruega não está, de modo algum, fechada. Começou hoje [terça-feira] a negociação", afirmou, na altura, Ricardo Serrão Santos, em resposta aos deputados, numa audição parlamentar na comissão de Agricultura e Mar.

Leia Também: Confinamento reduz até 90% rendimento da safra de lampreia no Alto Minho

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório