Meteorologia

  • 16 ABRIL 2024
Tempo
18º
MIN 13º MÁX 26º

"Manifestação de 23 minutos não deixará portugueses sem medicamentos"

A ANF fará hoje uma manifestação de 23 minutos, mas garante que "não deixará um único português sem os seus medicamentos". A reação surge na sequência do alerta do Infarmed, que recordou hoje que as farmácias estão vinculadas a obrigações e sujeitas a sanções.

"Manifestação de 23 minutos não deixará portugueses sem medicamentos"
Notícias ao Minuto

11:42 - 27/05/20 por Filipa Matias Pereira

País Farmácia

Esta quarta-feira, pelas 15h, as farmácias vão suspender o seu funcionamento durante os 23 minutos reservados pela Assembleia da República para debater a petição 'Salvar as farmácias Cumprir o SNS'. Depois de o Infarmed ter lembrado as farmácias que estão vinculadas a obrigações legais e que incorrem em sanções, a Associação Nacional de Farmácias (ANF) garante que ninguém ficará sem medicamentos.

A paragem simbólica dos serviços farmacêuticos levou, esta quarta-feira, o Infarmed a lembrar as farmácias que "estão vinculadas às obrigações que sobre elas impendem no quadro legal de regulação da sua atividade", nomeadamente "dispensar medicamentos em permanência durante o seu horário de funcionamento".

E estes deveres "não podem ser livremente suspensos mesmo que de forma curta e temporária por livre iniciativa da mesma e muito menos por parte da associação de que possam ser sócia".

Perante esta posição, a Associação Nacional de Farmácias, em comunicado enviado às redações, indica que o Infarmed, "com a sua ameaça de sanções sobre as farmácias, mostra incompreensão pela natureza simbólica de uma paragem de 23 minutos".

A Associação acrescenta ainda que "o sistema de prescrição eletrónica já esta semana esteve parado mais tempo, por problemas inerentes aos servidores dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde". Mais ainda. "No passado, já esteve parado vários dias e nunca o Infarmed manifestou qualquer preocupação com isso".

Assegura ainda a ANF que "as farmácias sabem bem quais os seus deveres para com a população, que servem todos os dias, em todo o território". Estas organizações, pode ainda ler-se, "nunca adotaram nem vão adotar formas de protesto que ponham em causa o seu serviço aos portugueses".

Fica também a salvaguarda da ANF de que "as farmácias garantem que a sua manifestação de 23 minutos não deixará um único português sem os seus medicamentos".

Recorde-se que, com esta paragem simbólica, as farmácias querem alertar "a sociedade portuguesa e o poder político sobre a urgência de medidas concretas para salvaguardar os serviços das farmácias aos portugueses".

Recomendados para si

;
Campo obrigatório