Meteorologia

  • 16 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 16º

Edição

População residente em Portugal continua a diminuir

A população residente em Portugal voltou a cair em 2017, apesar de ligeira redução da mortalidade, do decréscimo da emigração e do aumento da imigração, revelam dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgados hoje.

População residente em Portugal continua a diminuir
Notícias ao Minuto

15:05 - 15/11/18 por Lusa

País INE

Segundo as estatísticas demográficas do INE, o declínio populacional mantém-se desde 2010, embora se tenha atenuado nos quatro últimos anos.

A população residente em Portugal foi estimada em 10.291.027 pessoas, número que representa uma diminuição da população em 18.546 habitantes relativamente ao ano anterior.

De acordo com o INE, a taxa de crescimento efetivo foi de -0,18%, o que, explica o instituto, decorreu de uma taxa de crescimento natural de -0,23% e de uma taxa de crescimento migratório positiva de 0,05%.

Apesar do saldo migratório, acrescenta o INE, mantém-se a tendência de decréscimo populacional verificada desde 2010, ainda que se tenha atenuado nos últimos quatro anos.

O número de nascimentos foi de 86.154 (nados-vivos) o que equivale a um decréscimo de 1,1 % em relação a 2016 verificando-se pelo quarto ano consecutivo uma ligeira recuperação.

Por outro lado, os dados revelam também que a idade média das mulheres ao nascimento de um filho foi de 31,2 anos (31,1 em 2016), enquanto a idade média ao nascimento do primeiro filho se manteve idêntica à observada em 2016 (29,6 anos).

Em 2017 morreram 109.758 pessoas, menos 0,7% relativamente a 2016 (110.573) e o número de óbitos infantis foi 229, menos 53 face a 2016, o valor mais baixo observado em Portugal desde que há registos.

A taxa de mortalidade infantil diminuiu para 2,7 mortes por mil nados-vivos.

Relativamente à imigração, a estatística revela que durante o ano de 2017 tenham entrado em Portugal 36.639 imigrantes permanentes, mais 22,4 % que em 2016 (29.925) e tenham saído 31.753 emigrantes permanentes, menos 17,0% que em 2016.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório