Meteorologia

  • 17 JULHO 2018
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 19º

Edição

Resgate: Após revolta popular, Bombeiros de Ponte de Lima explicam-se

Gato do vídeo que se tornou viral por ter sido resgatado de uma árvore, em Ponte de Lima, com jatos de água está bem de saúde e foi, entretanto, adotado.

Notícias ao Minuto

16:03 - 21/06/18 por Melissa Lopes

País Animais

Assim que o vídeo do momento em que um bombeiro, em Ponte de Lima, resgata um gato do cimo de uma árvore com recurso a jatos de água foi publicado esta quarta-feira nas redes sociais, o caso ganhou instantaneamente dimensões virais.

Em poucas horas, os vídeos partilhados alcançaram dezenas de milhares de visualizações, à medida que iam deixando de estar disponíveis.

A revolta e a indignação perdurou e deu origem a várias queixas, nomeadamente do Pessoas-Animais-Natureza PAN, que avançou com uma queixa-crime contra o bombeiro em causa. “Desumano” é o adjetivo que o partido usa para descrever a situação. Além da queixa-crime, o PAN pediu esclarecimentos ao comando da corporação.

Foi o que fez, também, o Notícias ao Minuto. Carlos Lima, comandante dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima, conta que aquele animal – até à data de ontem sem dono - já havia sido várias vezes resgatado do cimo daquele árvore, com recurso a um método semelhante, tendo tudo corrido bem. Ontem, as “coisas não correram bem” ao bombeiro.

Pode ter sido um “ato mais mal pensado, [o bombeiro] utilizou, se calhar, muita pressão”, atira o comandante, admitindo que o método usado pode não ter sido o melhor. “É discutível”, sublinhou, adiantando que vai "abrir um processo sumário para averiguar o procedimento, discuti-lo e tirar as devidas ilações”.

O comandante revela que depois de o animal ter caído com aquela violência no chão, o bombeiro levou-o para o quartel onde foi solicitado ao veterinário municipal que avaliasse as condições em que este ficara após a queda. “Estava bem de saúde”, frisa.

Carlos Lima refere que os bombeiros ligaram depois para uma associação de resgate de animais da cidade, não tendo ninguém atendido as várias chamadas. Foi no quartel que surgiu, posteriormente, “uma jovem” a querer adotá-lo.

Porque também se aprende com os erros, o comandante diz ter tomado medidas imediatas depois do sucedido. Decidiu que em situações futuras de resgate de animais devem estar presentes outras entidade - um veterinário municipal e alguém do SEPNA [Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente]. E, em casos em que não haja condições de segurança, os bombeiros daquele corporação têm orientações para não intervir. No caso de ontem, por exemplo, não havia possibilidade de colocar uma escada no local, realça. 

Carlos Lima afirma ainda que o bombeiro em causa "está muito mal cuidado" com a situação, com tudo o que é dito na comunicação social. O quartel está inclusive a receber chamadas insultuosas a chamar os bombeiros de "assassinos". "Está-se a prejudicar uma pessoa e uma entidade", lamenta.

Por fim, o comandante agradece a quem publicou as imagens do resgate nas redes sociais porque através delas vai ser possível melhorar o procedimento e foi possível adotar o animal, e lembra que os Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima já executaram "centenas de resgates" de animais- "de passarinhos, gatos, cavalos, etc" - em que tudo correu bem. E não tem dúvidas de que os bombeiros, a nível nacional, fazem um "excelente trabalho" a este nível. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.