Meteorologia

  • 20 MAIO 2018
Tempo
17º
MIN 14º MÁX 21º

Edição

Maduro mantém ida à Cimeira das Américas apesar de ser indesejado

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, insistiu hoje que vai participar na próxima Cimeira das Américas, apesar de o Governo do Peru, anfitrião do evento, ter anunciado que "não será bem-vindo".

Maduro mantém ida à Cimeira das Américas apesar de ser indesejado
Notícias ao Minuto

18:44 - 15/02/18 por Lusa

Mundo Venezuela

A VIII Cimeira das Américas está marcada para os próximos dias 13 e 14 de abril em Lima e além do Peru, os Estados Unidos, e o Grupo de Lima (composto por 14 países da região), são contra a presença do primeiro mandatário venezuelano.

"Não me querem ver em Lima (Peru), mas vão ter que me ver, porque chova, troveje ou faça sol, por mar, terra ou ar, lá estarei (...) chegarei à Cimeira das Américas com a verdade da pátria de Simón Bolívar", disse.

Simón Bolívar (1783-1830) foi um político venezuelano que teve um papel importante na independência de vários países da América Latina.

"Chegarei à Cimeira das Américas com a verdade da Venezuela, não tem porque haver racismo nem intolerância contra a nossa nação", salientou durante uma conferência de imprensa com jornalistas internacionais, no palácio presidencial de Miraflores.

Nicolás Maduro frisou ainda que pelas 16:00 locais de quarta-feira (20:00 em Lisboa) recebeu uma carta convite para participar na cimeira.

Por outro lado frisou que os venezuelanos que estão a sair do país estão a ser alvo de tratamento xenófobo nos países de acolhimento.

"Os venezuelanos que estão emigrando fazem-no com esse direito (...) nós recebemos refugiados permanentemente e sobre isso ninguém tem feito campanha. E quem faz as campanhas contra os venezuelanos no estrangeiro? A imprensa da direita (...) Eu condeno as campanhas de xenofobia contra os venezuelanos, da imprensa internacional", acentuou.

Segundo Nicolás Maduro, a "Venezuela é o melhor país do mundo e isso está ficando comprovado".

"Saibam, que aqui têm a sua terra, a sua família, que aqui têm a sua Venezuela, um país de gente nobre. Onde estiverem defendam esta pátria de (Simón) Bolívar", frisou.

O Peru anunciou terça-feira que "devido aos factos que acontecem na Venezuela (...) já não é bem-vinda" a participação de Nicolás Maduro na cimeira.

O anúncio foi feito pela ministra de Relações Exteriores do Peru, Cayetana Aljovín, durante uma conferência de imprensa, em Lima, à margem de uma reunião de ministros e representantes dos 14 países (Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru e Santa Lúcia) que integram o Grupo de Lima.

"Quero informar que o Governo do Peru, com o apoio do Grupo de Lima e segundo a declaração de Quebeque, de 2001, decidiu expressar, com relação ao convite do Presidente Nicolás Maduro à Cimeira das Américas, em Lima, que a sua presença, já não será bem-vinda", disse.

A ministra precisou que segundo a declaração de Quebeque, "qualquer alteração na ordem democrática de um Estado do Hemisfério constitui um obstáculo insuperável para a participação desse Governo no processo da Cimeira das Américas".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.