Meteorologia

  • 23 SETEMBRO 2018
Tempo
35º
MIN 33º MÁX 36º

Edição

"Comportamento irresponsável na Catalunha coloca estabilidade em risco"

O rei Felipe VI condenou, esta terça-feira, a "deslealdade" das autoridades catalãs e alertou para uma sociedade "dividida".

Dois dias depois do referendo da Catalunha e no dia em que quase um milhão de catalães saíram à rua, naquela que já é considerada a maior greve geral na região, o rei de Espanha decidiu falar ao país.

O rei Felipe VI deixou fortes críticas ao governo da Catalunha, acusando-o de “deslealdade”.

Hoje, a sociedade catalã está dividida e, com o seu comportamento irresponsável, pode até colocar em risco a estabilidade económica e social da Catalunha e de toda a Espanha", afirmou o rei, na mensagem solene a partir do Palácio Real da Zarzuela.

Reiterando várias vezes que o referendo do passado domingo é "inconstitucional", o Felipe VI disse considerar que as autoridades catalãs estão “à margem do direito e da democracia”, e que pretendem “acabar com a unidade de Espanha”.

Por isso, afirmou, numa mensagem transmitida nas televisões, que o Estado espanhol deve “assegurar a ordem constitucional”.

Notícias ao MinutoMensagem do rei de Espanha foi transmitida nas televisões© Reuters

Realçando que Espanha atravessa "momentos difíceis", o Felipe VI assegurou que o povo espanhol "os vai ultrapassar", e terminou a sua mensagem vincando o "compromisso, enquanto rei, com a unidade e a permanência de Espanha".

O referendo que dividiu a Espanha

O governo regional (Generalitat) anunciou na madrugada de segunda-feira que 90% dos catalães votaram a favor da independência no referendo, tendo exercido o direito de voto 42% dos 5,3 milhões de eleitores. A consulta popular foi convocada pela Generalitat, dominada pelos separatistas, tendo o Estado espanhol, nomeadamente o Tribunal Constitucional, declarado que a consulta era ilegal.

A consulta foi boicotada pelos movimentos e partidos que não apoiam a separação da Catalunha de Espanha, apesar de muitos deles também defenderem a realização de uma consulta popular na região, mas feita de acordo com as regras aceites por todos e não apenas de uma das partes.

A votação de domingo foi marcada pela intervenção da polícia espanhola, que tentou encerrar alguns centros eleitorais, uma ação que teve momentos de grande violência que passaram nas televisões de todo o mundo.

Os resultados finais do referendo são impossíveis de certificar com as garantias normais para consultas deste tipo e não têm a homologação internacional.

O chefe do Governo catalão, Carles Puigdemont, vai nos próximos dias levar os resultados da consulta ao parlamento regional para decidir se declara a independência da região, que é uma das 17 comunidades autónomas espanholas.

O dia de hoje na Catalunha foi marcado por uma greve geral e manifestações de centenas de milhares de pessoas nas ruas de Barcelona contra a violência utilizada no domingo pelas forças policiais.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório