Finlândia nega pressões para limitar imprensa sobre uma investigação

primeiro-ministro da Finlândia, Juha Sipila, negou hoje ter feito pressões junto de um órgão de comunicação social finlandês a propósito de um caso de conflito de interesses num negócio familiar.

© Reuters
Mundo Juha Sipila

Juha Sipila, que está no poder desde 2015, deu hoje uma conferência de imprensa para admitir que enviou mensagens a um jornalista da estação pública YLE, mas negou qualquer intenção de limitar a liberdade de imprensa.

PUB

Em causa está uma investigação jornalística a um alegado conflito de interesses do primeiro-ministro finlandês num concurso público sobre uma exploração mineira, ganho por uma empresa detida por familiares.

"Admito que é um assunto sensível quando o meu cargo afeta e envolve a minha família (...). Admito que reagi de forma emotiva", disse aos jornalistas, reconhecendo o envio de cerca de 20 mensagens a um jornalista porque não teve oportunidade de comentar as notícias sobre o assunto polémico.

A imprensa finlandesa acusa-o de ter tentado travar a investigação da YLE, uma vez que na sexta-feira foi retirada de antena uma reportagem sobre o suposto favorecimento de familiares.

 

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS