Meteorologia

  • 28 NOVEMBRO 2020
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Eis um guia que lhe diz o que fazer se testemunhar um ato islamofóbico

Os passos aqui descritos podem ser utilizados também em situações de racismo ou xenofobia no geral. O importante é apoiar a vítima.

Fale com a vítima -

Distraia a vítima, falando com calma e mostrando empatia

Marie-Shirine Yener é uma ilustradora francesa de ascendência iraniana e arménia que vive em Paris e que assina as suas obras sob o pseudónimo de Maeril.

A artista criou um guia ilustrado que ensina as pessoas a agir quando forem testemunhas de atos islamofóbicos.

Em entrevista ao jornal britânico Independent, Maeril explicou que a ideia surgiu depois de, nos últimos tempos, ter assistido, em Paris, a um aumento do número de atos islamofóbicos em consequência dos atentados terroristas que têm assolado a França.

A ilustradora mostrou-se “muito feliz” por o seu guia, que é baseado em técnicas de psicologia, se ter tornado um sucesso nas redes sociais, pois tal “reconhecimento” pode vir a “mudar as coisas”.

Maeril garantiu ainda na mesma entrevista que o guia “pode ser aplicado a outro tipo de assédio”, mas que decidiu colocar o foco nos muçulmanos por estes se terem tornado no "alvo predileto” de atos xenófobos e racistas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório