Meteorologia

  • 24 JULHO 2024
Tempo
21º
MIN 20º MÁX 37º

Partido sul-africano suspende deputado por comentários racistas em 2010

O principal partido da oposição sul-africano, o Aliança Democrática (DA), que deverá integrar um Governo de coligação nos próximos dias, suspendeu hoje um dos seus deputados devido à divulgação de um vídeo antigo onde este fazia comentários racistas.

Notícias ao Minuto

19:05 - 20/06/24 por Lusa

Mundo África do Sul

O partido de centro-liberal anunciou que Renaldo Gouws, que tomou posse como deputado na semana passada após as recentes eleições legislativas, seria convocado para uma audiência disciplinar interna.

"O DA verificou que o vídeo, no qual Renaldo Gouws utiliza uma linguagem abominável, é genuíno e não falso, como se suspeitava inicialmente", declarou o partido, que o suspendeu "com efeito imediato".

O caso surgiu num momento político delicado nesta nação que faz fronteira com Moçambique.

Na semana passada, o DA chegou a um acordo de Governo com o Congresso Nacional Africano (ANC), que está no poder há 30 anos, mas perdeu pela primeira vez a maioria absoluta no parlamento.

O DA tem dificuldade em desfazer-se da imagem de um partido que defende os interesses dos cidadãos brancos (menos de 8% da população), apesar de ter obtido 22% nas eleições legislativas.

A sua participação num Governo de coligação incomoda uma parte do ANC, que libertou o país do 'apartheid', bem como a oposição de esquerda, que denunciou uma "aliança profana liderada por brancos".

Hoje, a Comissão dos Direitos Humanos anunciou um processo contra o "discurso de ódio" de Gouws, afirmando que, enquanto deputado, "as suas alegadas ações têm um peso e uma responsabilidade ainda maiores".

No vídeo, alegadamente datado de 2010, Gouws apela à morte dos "kaffir", o termo racista mais ofensivo na África do Sul, em referência a uma canção anti-'apartheid' controversa e bem conhecida que apela à "morte dos Boers".

Esta semana, Gouws pediu desculpas "sem reservas" por um outro vídeo em que afirmava que os sul-africanos brancos estavam a viver o 'apartheid' ao contrário.

"Refuto qualquer acusação de racismo (...) No entanto, vejo como a minha mensagem foi distorcida na forma como a transmiti e assumo total responsabilidade pelas minhas ações numa altura em que era jovem e imaturo", escreveu Gouws na rede social X.

Leia Também: Parques moçambicanos receberam mais de 1.400 animais da África do Sul

Recomendados para si

;
Campo obrigatório