Meteorologia

  • 17 JUNHO 2024
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 22º

Refém israelita resgatada a tempo de ver mãe com cancro em fase terminal

A jovem foi resgatada no sábado, juntamente com outros três reféns, numa operação das forças especiais israelitas a partir de um edifício de apartamentos no centro de Gaza.

Refém israelita resgatada a tempo de ver mãe com cancro em fase terminal
Notícias ao Minuto

15:36 - 10/06/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Noa Argamani

Horas depois de ser resgatada - após oito meses de cativeiro do Hamas em Gaza -, a refém libertada Noa Argamani chegou ao hospital para ver a sua mãe com um cancro em fase terminal.

Argamani, de 26 anos, era um dos rostos mais conhecidos entre os reféns raptados pelo Hamas a 7 de outubro. Na altura, as imagens angustiantes de Argamani a ser levada para Gaza numa mota, implorando pela sua vida e tentando desesperadamente alcançar o namorado que marchava a pé ao seu lado, circularam por todo o mundo.

A jovem foi resgatada no sábado, juntamente com outros três reféns, numa operação das forças especiais israelitas a partir de um edifício de apartamentos no centro de Gaza. Mais tarde, foi recebida com aplausos ao chegar ao Centro Médico Sourasky de Telavive, onde a sua mãe, Liora, está a ser tratada com cancro cerebral terminal.

O CEO do hospital, Ronni Gamzu, disse, citado pelo The Times of Israel, que a condição da mãe era "complicada e difícil", mas que Argamani conseguiu comunicar com esta, que os médicos acreditam ter entendido que a filha tinha voltado para casa.

"Nos últimos oito meses estamos a tentar mantê-la numa condição de forma a que ela possa comunicar-se", destacou Gamzu.

Num telefonema para o presidente Isaac Herzog ao ser resgatada, a sorrir e rodeada por amigos e familiares, Argamani afirmou: "Estou muito feliz por estar aqui".

O namorado de Argamani, Avinatan Or, ainda está em cativeiro.

Recorde-se que as forças especiais israelitas libertaram quatro reféns detidos em Nuseirat, no centro de Gaza, numa altura em que os ataques israelitas e os ataques aéreos na mesma zona mataram pelo menos 210 palestinianos, incluindo crianças, informaram os médicos locais.

A operação de salvamento foi a maior da guerra, levando de volta a Israel três homens e uma mulher que tinham sido raptados no festival, no dia 7 de outubro.

Noa Argamani, 25 anos, Almog Meir Jan, 21 anos, Andrey Kozlov, 27 anos, e Shlomi Ziv, 40 anos, são os resgatados de sábado, numa operação que, segundo o porta-voz das Forças de Defesa de Israel, foi "preparada ao longo de várias semanas".

Quatro reféns resgatados em operação que matou dezenas em Gaza. Entenda

Quatro reféns resgatados em operação que matou dezenas em Gaza. Entenda

Mulher e três homens libertados de Nuseirat, enquanto a UE condena "relatos de Gaza sobre outro massacre de civis.

Marta Amorim | 08:22 - 09/06/2024

O conflito em curso na Faixa de Gaza foi desencadeado pelo ataque do grupo islamita Hamas em solo israelita de 7 de outubro de 2023, que causou cerca de 1.200 mortos e duas centenas de reféns, segundo as autoridades israelitas.

Desde então, Telavive lançou uma ofensiva na Faixa de Gaza que até ao momento perto de 37.000 mortos e pelo menos 82.000 feridos segundo o Hamas, classificado como "organização terrorista" por Israel, União Europeia e Estados Unidos.

O conflito causou também quase dois milhões de deslocados, mergulhando o enclave palestiniano sobrepovoado e pobre numa grave crise humanitária, com mais de 1,1 milhões de pessoas numa "situação de fome catastrófica" que está a fazer vítimas - "o número mais elevado alguma vez registado" pela ONU em estudos sobre segurança alimentar no mundo.

Também na Cisjordânia e em Jerusalém leste, ocupados por Israel, pelo menos 510 palestinianos foram mortos pelas forças israelitas ou por ataques de colonos desde 7 de outubro, para além de cerca de 9.000 detidos desde essa data.

Leia Também: Agência da ONU para refugiados diz que destruição de Gaza é indescritível

Recomendados para si

;
Campo obrigatório