Meteorologia

  • 14 JULHO 2024
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 26º

A última chamada do menino assassinado: "Posso ficar a dormir com o avô?"

Embora o homem tenha concordado, durante o telefonema, que os netos ficariam em casa para tentar ganhar tempo para recuperar os filhos, não conseguiu voltar a contactá-los.

A última chamada do menino assassinado: "Posso ficar a dormir com o avô?"
Notícias ao Minuto

15:12 - 21/05/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Espanha

A cidade de Huétor Tájar, em Granada, Espanha, continua em estado de choque após o assassinato de duas crianças de 10 e 12 anos às mãos do avô.

O homem de 72 anos tinha-se barricado em casa e acabou por matar as crianças antes de retirar a própria vida.

Os agentes entraram na casa por volta das 8h25, após verificarem que não havia qualquer movimento na casa, altura em que o idoso se suicidou, e encontraram os corpos das crianças em dois quartos diferentes, um deles com um ferimento de bala.

Vários vizinhos alertaram o 112, por volta das 21h45, para o facto de haver momentos de tensão e "conflito" na casa entre o avô e o pai das crianças. Segundo o El Correo de Andalucía, o avô terá discutido com o genro, a quem apontou uma arma, por não o deixar ver os netos.

Nesse momento, o homem abandonou a casa, onde o idoso se barricou com as crianças. À chegada dos agentes, o avô disparou dois tiros para o ar a partir da janela para avisar que estava armado, o que levou imediatamente as Forças Armadas a ativar o protocolo.

Antes das onze da noite, o pai recebeu um telefonema do telemóvel do avô: era o seu filho mais velho. O rapaz perguntou ao pai se podia dormir lá em casa com o avô: "Pai, posso ficar a dormir com o avô?". Esta terá sido a última comunicação entre pai e filho. 

Embora o homem tenha concordado, durante o telefonema, que os netos ficariam em casa para tentar ganhar tempo para recuperar os filhos, não conseguiu voltar a contactá-los.

O contacto das autoridades com o avô foi interrompido por volta das 5 horas da manhã, quando o homem disse aos agentes que não podia continuar a falar porque tinha de preparar as crianças para a escola dentro de pouco tempo.

Os agentes aguardaram que este marco se concretizasse, utilizando os meios tecnológicos ao seu dispor para escutar e tornar visível, tanto quanto possível, o que poderia estar a acontecer no interior da casa. No entanto, eram oito horas da manhã e as crianças ainda não tinham saído para a escola.

Ao verem que eles não saíam, os agentes decidiram que tinham de entrar. Foi quando entraram que o avô se suicidou e descobriram os dois menores sem vida.

Leia Também: Pai das crianças mortas pelo avô em Espanha internado e sedado

Recomendados para si

;
Campo obrigatório