Meteorologia

  • 26 MAIO 2024
Tempo
17º
MIN 14º MÁX 23º

Ucrânia. Alemanha envia carta a aliados a pedir mais defesas antiaéreas

O Governo alemão enviou uma carta aos aliados da NATO, parceiros da União Europeia (UE) e outros países, a instá-los a fornecer mais defesas antiaéreas à Ucrânia, tema que será discutido esta quinta-feira numa reunião do G7.

Ucrânia. Alemanha envia carta a aliados a pedir mais defesas antiaéreas
Notícias ao Minuto

21:46 - 17/04/24 por Lusa

Mundo Guerra na Ucrânia

Na carta, divulgada hoje pelo semanário Der Spiegel, os ministros alemães dos Negócios Estrangeiros e da Defesa, Annalena Baerbock e Boris Pistorius, respetivamente, pedem aos seus parceiros em todo o mundo que "revejam novamente com muito cuidado as reservas de sistemas de defesa aérea", para estimarem o que pode ser transferido para a Ucrânia.

Segundo este meio, Baerbock regressou com frustração de uma reunião de ministros dos Negócios Estrangeiros da UE realizada no início de abril, na qual o chefe da diplomacia ucraniana, Dmytro Kuleba, instou os Vinte e Sete a enviarem urgentemente sistemas de defesa aérea para a Ucrânia, de preferência Patriot ou Iris-T. Mas após o pedido, nenhum país da NATO anunciou medidas concretas.

Perante a inação, a ministra procurou liderar pelo bom exemplo e conversou com Pistorius. No sábado, o Ministério da Defesa alemão anunciou a entrega de outro sistema Patriot das suas reservas para a Ucrânia.

Posteriormente, enviaram a carta aos seus homólogos, instando-os a contribuir imediatamente para a melhoria da defesa antiaérea da Ucrânia, cujas infraestruturas sofreram mais danos do que em todo o inverno de 2022, quando a Rússia bombardeou intensamente os sistemas energéticos do país.

A iniciativa terá o apoio da França e surge quando o Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky pediu ao secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, que convocasse com urgência uma reunião do Conselho NATO-Ucrânia ao nível dos ministros da Defesa, depois de ver como Israel conseguiu repelir o ataque iraniano com a ajuda de parceiros como os EUA, o Reino Unido e a Jordânia.

O encontro terá lugar na sexta-feira, algo que Zelensky agradeceu hoje numa mensagem na rede social X, onde aproveitou para exigir "medidas imediatas para reforçar a defesa antiaérea" da Ucrânia, que voltou a sofrer esta madrugada outro ataque com mísseis russos contra Chernígiv, no norte, no qual morreram 17 pessoas.

Antes de viajar para a reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros do G7, que decorrerá em Capri (Itália) e na qual Kuleba também participará, Baerbock realçou, em comunicado, que a Alemanha e os seus parceiros em todo o mundo devem estar "determinados a intensificar a defesa contra o terror russo pelo ar".

"Reforçar as defesas aéreas é uma questão de sobrevivência para milhares de pessoas na Ucrânia e a melhor proteção para a nossa própria segurança. E isso requer o nosso total compromisso", sublinhou.

Leia Também: Zelensky pede que líderes "cumpram" e negoceiem adesão a partir de junho

Recomendados para si

;
Campo obrigatório