Meteorologia

  • 26 MAIO 2024
Tempo
21º
MIN 14º MÁX 23º

UE alarga sanções a uma entidade da Jihad palestiniana e duas do Hamas

A União Europeia (UE) acrescentou hoje três entidades à lista do regime de sanções por violação de direitos humanos por responsabilidade nos ataques terroristas "brutais e indiscriminados" a Israel em 07 de outubro de 2023.

UE alarga sanções a uma entidade da Jihad palestiniana e duas do Hamas
Notícias ao Minuto

16:13 - 12/04/24 por Lusa

Mundo União Europeia

As entidades agora listadas são as Brigadas Al-Quds, o braço armado da Jihad Islâmica da Palestina, a unidade de forças especiais do Hamas Força Nukhba e as brigadas Qassam, o braço armado do Hamas, classificado como organização terrorista pela UE, Estados Unidos e Israel, segundo mum comunicado do Conselho da UE, e são responsáveis por violência sexual e de género.

Os visados ficam submetidos ao congelamento de bens que possuam na UE e é proibida a disponibilização de fundos ou recursos económicos.

A lista passa a abranger 104 pessoas e 26 entidades de vários países.

O Hamas lançou, em 07 de outubro de 2023, "ataques terroristas brutais e indiscriminados em todo o território de Israel", considera a UE, que apela à liberatação dos reféns tomados então e que estão ainda nas mãos dos terroristas.

Este ataque causou cerca de 1.200 mortos e duas centenas de reféns, segundo as autoridades de Telavive.

Desde então, Israel lançou uma ofensiva na Faixa de Gaza que provocou mais de 33.600 mortos, segundo o Hamas, que governa o enclave palestiniano desde 2007.

A retaliação israelita está a provocar uma grave crise humanitária em Gaza, com mais de 1,1 milhões de pessoas numa "situação de fome catastrófica" que já está a fazer vítimas - "o número mais elevado alguma vez registado" pela ONU em estudos sobre segurança alimentar no mundo.

Leia Também: Montenegro promete "firme compromisso de Portugal" com valores da UE

Recomendados para si

;
Campo obrigatório