Meteorologia

  • 16 ABRIL 2024
Tempo
23º
MIN 13º MÁX 26º

Dois ataques de grupo separatista causam pelo menos 13 mortos no Irão

Pelo menos 13 pessoas, incluindo cinco membros das forças de segurança, morreram em dois ataques separatistas na província de Sistão, no sul do Irão, informou hoje a agência de notícias oficial iraniana IRNA.

Dois ataques de grupo separatista causam pelo menos 13 mortos no Irão
Notícias ao Minuto

08:12 - 04/04/24 por Lusa

Mundo IRNA

A agência referiu que homens armados do grupo Jaish al-Adl (Exército da Justiça em árabe) atacaram, na noite de quarta-feira, instalações da Guarda Revolucionária Iraniana nas cidades de Rask e Chabahar.

O grupo separatista sunita fez reféns em Chabahar, a cerca de 1.400 quilómetros a sudeste da capital Teerão, que foram libertados após horas de confrontos com as forças de segurança.

Os confrontos causaram cinco mortos e dez feridos entre as forças de segurança, assim como oito mortos entre os agressores, avançou a IRNA, sem confirmar se a violência já tinha terminado.

O grupo Jaish al-Adl, formado por separatistas da etnia baluch, uma minoria de cerca de 10 milhões de pessoas espalhadas pelo Irão, Paquistão e Afeganistão, assumiu a responsabilidade pelos ataques através da plataforma de mensagens Telegram.

O Jaish al-Adl procura a independência da província de Sistão, que tem uma população maioritariamente sunita e onde operam grupos fundamentalistas que se opõem ao Governo xiita de Teerão.

A região, uma das menos desenvolvidas do Irão, serve também de base a grupos de contrabandistas e traficantes de droga, que aproveitam a porosa fronteira entre o Irão e o Paquistão.

O Jaish al-Adl, que Teerão considera uma organização terrorista, reivindicou a responsabilidade pelo ataque em que morreram 11 agentes da polícia, também na cidade de Rask, em dezembro, entre outros ataques nos últimos anos.

Em janeiro, o Irão lançou ataques aéreos contra o Baluchistão, uma província no sudoeste do vizinho Paquistão, visando o que Teerão disse serem esconderijos do grupo Jaish al-Adl, causando a morte de duas crianças.

Em resposta, o Paquistão chamou o embaixador em Teerão e lançou ataques aéreos contra os alegados refúgios de grupos separatistas do Baluchistão no interior do Irão, na província de Sistão, matando pelo menos nove pessoas.

A tensão entre o Paquistão e o Irão acabou por ser atenuada depois de os ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países se terem encontrado e prometido trabalhar em conjunto para melhorar a cooperação em matéria de segurança.

Leia Também: Líder supremo do Irão diz que mulheres devem obedecer e cobrir-se com véu

Recomendados para si

;
Campo obrigatório