Meteorologia

  • 20 ABRIL 2024
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 22º

Hamas acusa EUA de hipocrisia e de tentar "salvar a face de Israel"

O grupo palestiniano Hamas acusou hoje o Presidente norte-americano, Joe Biden, de hipocrisia e considerou que a proposta de Washington para um acordo de cessar-fogo na Faixa de Gaza visa "salvar a face de Israel".

Hamas acusa EUA de hipocrisia e de tentar "salvar a face de Israel"
Notícias ao Minuto

10:34 - 27/02/24 por Lusa

Mundo Israel/Palestina

"Biden pratica a hipocrisia política e participa na morte de palestinianos", disse Osama Hamdan, um membro sénior da ala política do Hamas, citado pelo diário Filastin, ligado ao grupo islamita.

Hamdan disse que a fuga de informação sobre os pormenores da proposta de acordo tinha como objetivo "criar fraqueza entre os palestinianos".

"O projeto dos Estados Unidos visa salvar a face de Israel" e dar mais tempo ao primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, "para preparar um novo ataque" contra a Faixa de Gaza.

Hamdan disse que a divulgação da proposta "é um caso de propaganda que não atinge o que o Hamas procura".

"A prioridade é parar a agressão [israelita], acabar com o cerco e entregar ajuda, enquanto a troca de prisioneiros virá mais tarde", referiu, segundo a agência espanhola Europa Press.

Fontes citadas pela rede de televisão do Qatar Al Jazeera disseram na segunda-feira que o acordo incluiria uma trégua de seis semanas em Gaza.

A trégua seria acompanhada pela libertação de 40 reféns israelitas, bem como a libertação de cerca de 400 prisioneiros palestinianos.

Segundo as mesmas fontes, Israel teria concordado com o regresso gradual ao norte de Gaza dos palestinianos deslocados pela ofensiva militar, excluindo os que têm idade militar, bem como com a entrada de mais ajuda humanitária.

A atual guerra entre Israel e o Hamas foi desencadeada pelo ataque do grupo extremista em 07 de fevereiro contra território israelita, que causou cerca de 1.200 mortos e duas centenas de reféns, segundo as autoridades.

A resposta israelita, com uma ofensiva por mar, ar e terra, matou mais de 29.800 pessoas na Faixa de Gaza, de acordo com o Hamas, que controla o pequeno enclave desde 2007.

Israel, Estados Unidos e União Europeia consideram o Hamas como uma organização terrorista.

Leia Também: Hamas estuda possibilidade de cessar fogo de 40 dias e troca de reféns

Recomendados para si

;
Campo obrigatório