Meteorologia

  • 13 ABRIL 2024
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 29º

RDCongo. Pelo menos 3 mortos na explosão de bomba em campo de refugiados

Pelo menos três pessoas morreram e 15 ficaram hoje feridas no leste da República Democrática do Congo quando uma bomba caiu num campo de deslocados, apanhado no conflito entre o exército e os rebeldes do M23, disse uma fonte médica.

RDCongo. Pelo menos 3 mortos na explosão de bomba em campo de refugiados
Notícias ao Minuto

18:52 - 12/02/24 por Lusa

Mundo Patrick Muyaya

O ministro congolês da Comunicação e porta-voz do Governo, Patrick Muyaya, escreveu na rede social X (antigo Twitter) que uma bomba "pertencente ao exército ruandês" tinha sido "lançada ao início da noite em Sake, no campo de deslocados chamado Zaïna, ferindo gravemente oito pessoas".

O campo situa-se na periferia norte de Sake, cidade situada a cerca de 20 quilómetros a oeste de Goma, a capital da província de Kivu do Norte, região onde, durante o dia de hoje, se travaram violentos combates, segundo fontes locais citadas pela Agência France Presse (AFP).

"Esta noite os combates prosseguem, o que vai provocar uma nova vaga de deslocações", lamentou um funcionário administrativo.

Desde o final de 2021, o Kivu do Norte é palco de um conflito que opõe a rebelião do M23, apoiada por unidades do exército ruandês, ao exército congolês, em associação com grupos armados e duas companhias militares estrangeiras.

Os combates intensificaram-se nos últimos dias nesta nação que faz fronteira com Angola, nomeadamente em torno de Sake, de onde milhares de habitantes fugiram na passada quarta-feira, 07 de fevereiro, para Goma, para escapar aos bombardeamentos.

Segundo a organização não-governamental Save the Children, pelo menos 150.000 pessoas já se deslocaram do leste do país desde 02 de fevereiro, das quais 78.000 eram crianças.

Além das deslocações, estes combates estão a aumentar a agitação social, por isso as autoridades da República Democrática do Congo (RDCongo) reforçaram hoje as medidas de segurança em frente às embaixadas e instalações da ONU, alvos de manifestações há vários dias contra o alegado apoio ocidental ao movimento rebelde M23.

No sábado, veículos pertencentes a embaixadas e à ONU foram atacados por manifestantes e o líder da missão da ONU na RDCongo, Bintou Keita, anunciou, através da rede social X, que vários veículos da Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo (Monusco) "foram incendiados".

Também as Nações Unidas estão a ser diretamente afetadas pelo conflito, tendo a organização revelado hoje, num documento interno, que elementos do exército ruandês que apoiam o M23 no leste da RDCongo dispararam pelo menos um míssil terra-ar contra um drone de observação da ONU.

De acordo com o documento confidencial, consultado pela agência France Presse, um "presumível míssil terra-ar das Forças de Defesa do Ruanda (RDF)" visou um drone de observação da ONU na passada terça-feira, sem o atingir, e foi disparado de um veículo blindado numa zona controlada pelo M23.

Leia Também: Exército ruandês está a utilizar mísseis terra-ar na RD Congo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório