Meteorologia

  • 22 FEVEREIRO 2024
Tempo
16º
MIN 12º MÁX 18º

EDP financia projetos de acesso a energia limpa em cinco países africanos

A EDP atribuiu um financiamento global de um milhão de euros a 10 projetos de acesso a energia limpa na Nigéria, Quénia, Ruanda, Malaui e Moçambique, no âmbito do fundo 'Access to Energy', foi hoje anunciado.

EDP financia projetos de acesso a energia limpa em cinco países africanos
Notícias ao Minuto

18:12 - 08/12/23 por Lusa

Mundo EDP

"O recurso a produção solar descentralizada e tecnologias de armazenamento de energia são pontos comuns aos 10 projetos selecionados na 5.ª edição do fundo A2E ('Access to Energy')", indicou, em comunicado, a elétrica.

Do total das 192 candidaturas apresentadas, foram selecionados projetos de organizações em cinco países africanos -- Nigéria, Quénia, Ruanda, Malaui e Moçambique.

O financiamento total é de um milhão de euros.

Entre as iniciativas em causa estão sistemas de eletrificação de pequenas clínicas, iluminação de escolas de ensino básico, abastecimento energético em produções agrícolas e mini-redes solares.

Estima-se que estes projetos possam ter impacto na vida de cerca de meio milhão de pessoas.

A Nigéria contabiliza quatro dos 10 projetos selecionados, sendo, novamente, o país com mais iniciativas apoiadas pelo fundo.

Um dos projetos selecionados, promovido pela CEESolar Energy, pretende ajudar 250 produtores de arroz a melhorar a sua produtividade.

Por sua vez, o projeto da PAMAfrica Green Power Generation quer criar uma 'net-zero village', com sistemas de míni-redes, enquanto a Husk Power Energy Systems quer apostar em sistemas de armazenamento e garantir energia limpa em centros de saúde rurais.

Já a fundação Retech pretende eletrificar cinco escolas com sistema solar.

"No Quénia, o Centrum Narovinu vai desenvolver um projeto numa comunidade de crianças órfãs e famílias vulneráveis, na ilha de Rusinga, que garante o abastecimento de energia para atividades agrícolas e educativas. Outro projeto, promovido pela OffgridSun, envolve a promoção de saneamento básico e acesso a água potável que será gerida e comercializada em parceria com a comunidade", lê-se no documento.

No Ruanda foram escolhidos dois projetos, um da Sociedade para a Saúde Familiar, que vai eletrificar centros de saúde e garantir sistemas de água potável na região com o menor acesso em todo o país, e outro da Fundação Sustainable Villages, que está a criar um "piloto de eletrificação de uma pequena comunidade para apoio às suas atividades agrícolas, saúde e educação".

A Fundación Ibo, em Moçambique, apresenta um projeto de energia a aplicar em centros educativos em Cabo Delgado.

No Malaui, a iniciativa da Sopowerful quer reforçar a segurança e estabilidade do sistema elétrico no hospital da Mlambe, através da energia solar.

Leia Também: EDP repudia "atos de vandalismo" do grupo Climáximo no MAAT

Recomendados para si

;
Campo obrigatório