Meteorologia

  • 25 FEVEREIRO 2024
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 18º

Fugitivo italiano ligado à máfia calabresa detido na Colômbia. As imagens

Um fugitivo italiano de 55 anos, suspeito de estar ligado à máfia calabresa 'Ndrangheta e procurado por grande tráfico de cocaína entre a América do Sul e a Europa, foi detido na Colômbia, anunciou esta quinta-feira a Interpol.

Notícias ao Minuto

06:35 - 01/12/23 por Lusa

Mundo Colômbia

Massimo Gigliotti foi alvo de um alerta vermelho, um aviso internacional de detenção emitido pela organização internacional de polícia criminal a pedido da Itália, um dos seus países membros, especificou, em comunicado, a instituição que tem sede em Lyon.

O suspeito foi detido pela polícia nacional colombiana, "depois de agentes do departamento de investigação operacional dos carabinieri [polícia militarizada italiana] de Bolonha terem analisado e divulgo informações" do gabinete de polícia europeu Europol, acrescentou a Interpol, que não especificou o dia ou a cidade em que ocorreu a detenção.

A Europol colaborou com as unidades do programa Interpol I-CAN (Cooperação da Interpol contra a 'Ndrangheta) em Lyon, com o apoio de um agente policial italiano na Colômbia.

"A investigação sobre o suspeito acelerou na América do Sul depois de o Projeto I-CAN ter denunciado o fugitivo em setembro passado às autoridades do Brasil, Colômbia, República Dominicana, Panamá e Venezuela", revelou ainda a Interpol.

Desde o seu lançamento em 2020, o I-CAN facilitou a detenção de 93 fugitivos em todo o mundo, segundo a organização internacional, que tem até à data 195 países membros e cerca de 800 funcionários em Lyon e que celebra este ano o seu centenário.

Em fevereiro, a Interpol tinha divulgado a detenção do italiano Edgardo Greco, alegado membro da poderosa máfia calabresa, a 'Ndrangheta, em Saint-Etienne, no centro-leste de França, depois de 16 anos em fuga.

Este sexagenário condenado a prisão perpétua foi detido pela polícia francesa graças a informações dos carabinieri [polícia militarizada italiana], partilhadas entre os dois países parceiros graças ao projeto I-CAN.

Também no mesmo mês decorreu uma grande operação policial contra a máfia que assola a Calábria.

Nesta operação participaram cerca de 300 agentes da autoridade, apreendendo bens no valor de mais de 250 milhões de euros.

Centenas de membros desta organização estão a ser julgados num 'mega julgamento'.

Em 16 de janeiro, o chefe da 'Cosa Nostra', Matteo Messina Denaro, foi detido pelas autoridades italianas, acusado de ser o instigador de vários homicídios e massacres que marcaram a Itália durante décadas.

Procurado desde a década de 90, Matteo Messina Denaro conseguiu ficar escondido graças a uma rede de contactos e ajudas que lhe garantiram a fuga durante todos esses anos.

Veja as imagens da detenção na galeria acima.

Leia Também: Justiça italiana condena a 30 anos um dos chefes da máfia calabresa

Recomendados para si

;
Campo obrigatório