Meteorologia

  • 02 MARçO 2024
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 14º

Usar pressão migratória contra aliados? Rússia "não conseguirá singrar"

O secretário-geral da NATO avisou hoje Moscovo de que não vai conseguir desestabilizar os países da organização político-militar ao exercer pressão migratória nas fronteiras, considerando que a Rússia está a utilizar tal estratégia com a Finlândia.

Usar pressão migratória contra aliados? Rússia "não conseguirá singrar"
Notícias ao Minuto

17:26 - 28/11/23 por Lusa

Mundo Guerra na Ucrânia

"A Rússia está a utilizar a imigração como uma ferramenta para colocar pressão sobre os países vizinhos e aliados da NATO [Organização do Tratado do Atlântico Norte], mas não vai conseguir singrar. Continuamos unidos", disse Jens Stoltenberg em conferência de imprensa no final do primeiro dia de uma reunião com os chefes da diplomacia dos Estados-membros da Aliança Atlântica, em Bruxelas.

O encerramento das fronteiras terrestres da Finlândia com a Rússia, depois de um fluxo de migrantes sem precedentes, foi "a decisão acertada" para travar as intenções do Kremlin (Presidência russa), sustentou Stoltenberg.

O Governo da Finlândia anunciou hoje o total encerramento da fronteira com a Rússia a partir de quinta-feira e durante duas semanas, em resposta à atual crise migratória no norte da Europa e da qual Helsínquia acusa diretamente Moscovo.

Na madrugada de quinta-feira, o posto fronteiriço de Raja-Jooseppi, o único que permanecia operacional, vai encerrar e irá permanecer fechado até 13 de dezembro.

Mais de 700 migrantes sem vistos nem documentação legal, na sua maioria provenientes do Médio Oriente e de África, chegaram à Finlândia este mês, aumentando exponencialmente o número habitual de entradas.

A Finlândia, o mais recente Estado-membro da NATO (ingressou em abril passado), partilha a mais longa fronteira europeia (1.340 quilómetros) com a Rússia, a seguir à Ucrânia.

Na mesma conferência de imprensa, Jens Stoltenberg, que no próximo ano termina o mandato à frente da NATO após um prolongamento por causa da invasão russa da Ucrânia, insistiu na continuidade do apoio a Kiev e na unidade dos 31 Estados-membros sobre esta questão, recordando que a Alemanha se comprometeu com um pacote de oito mil milhões de euros em ajuda, os Países Baixos com dois mil milhões de euros e a Roménia criou uma infraestrutura específica para o treino dos pilotos ucranianos em aviões de combate F-16.

Insistindo nas declarações que hoje de manhã tinha proferido, Stoltenberg renovou o apelo para que o movimento islamita palestiniano Hamas e Israel prolonguem a trégua para possibilitar o envio de mais ajuda humanitária para a população palestiniana na Faixa de Gaza e a libertação de mais reféns.

Leia Também: Finlândia encerra totalmente fronteira com Rússia durante duas semanas

Recomendados para si

;
Campo obrigatório