Meteorologia

  • 18 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 21º

Organizações da sociedade civil brasileira rejeitam acordo UE-Mercosul

Cerca de 200 organizações da sociedade civil brasileira, apoiadas por grupos europeus, rejeitaram hoje num manifesto o acordo entre a União Europeia (UE) e o Mercosul, que alegam beneficiar apenas o "grande capital".

Organizações da sociedade civil brasileira rejeitam acordo UE-Mercosul
Notícias ao Minuto

20:52 - 07/02/23 por Lusa

Mundo UE-Mercosul

O documento foi apresentado pela Frente Brasileira contra os Acordos Mercosul-UE e apoiado por organizações europeias, num seminário realizado em Brasília, no qual foram debatidos os alegados riscos envolvidos nestes tratados.

O Governo de Luiz Inácio Lula da Silva anunciou que pretende "rever" alguns dos termos do acordo, especialmente os que se referem a compras governamentais. Mas frisou ainda, na semana passada, na conferência de imprensa conjunta com o chanceler alemão que pretende fazer o acordo nos próximos seis meses.

O acordo, que o Uruguai e o Paraguai apoiaram desde o início, foi promovido sobretudo pelos então presidentes da Argentina, Mauricio Macri, e do Brasil, Jair Bolsonaro, dois líderes conservadores que já deixaram o Governo.

Lula da Silva e o seu homólogo argentino, Alberto Fernández, apoiaram a negociação, mas concordaram que alguns aspetos deveriam ser "revistos".

Segundo o manifesto das organizações sociais que se opõem ao acordo, o que já foi negociado "beneficiará a legislação que favorece o comércio internacional" e "protegerá os investidores globais, tais como os bancos e as multinacionais".

Entre muitas outras críticas, argumentam que "as pequenas e médias empresas locais" serão "enfraquecidas" e terão de "competir em pé de igualdade com as grandes multinacionais europeias".

Leia Também: Brasil e Grécia reafirmam apoio ao acordo UE-Mercosul

Recomendados para si

;
Campo obrigatório