Meteorologia

  • 25 MAIO 2024
Tempo
17º
MIN 13º MÁX 25º

Israel e Sudão assinam tratado de paz até final do ano

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Israel disse hoje, no regresso de uma visita a Cartum, que espera assinar um acordo de paz e de normalização das relações com o Sudão até final do ano.

Israel e Sudão assinam tratado de paz até final do ano
Notícias ao Minuto

23:07 - 02/02/23 por Lusa

Mundo Eli Cohen

Numa conferência de imprensa em Jerusalém, pouco tempo depois de aterrar oriundo de Cartum, a capital do Sudão, Eli Cohen afirmou que os dois países "ultimaram o texto do acordo" com a meta a apontar para a assinatura até final do ano, e que haverá também um acordo de paz.

"Tenho o prazer de anunciar que, como parte da visita, concordámos em assinar um tratado de paz entre o Sudão e Israel", disse Cohen no Aeroporto Internacional Ben Gurion.

A cerimónia de assinatura deverá acontecer "depois da transferência de poder no Sudão para um governo civil que se estabelecerá como parte do processo de transição em curso no país", acrescentou o chefe da diplomacia israelita, citado pela agência France-Presse.

Por outro lado, o Conselho Soberano do Sudão confirmou que o líder deste órgão, Abdel Fatah al-Burhan, se encontrou com Coehen e "debateu o estabelecimento de relações frutuosas com Israel".

"A parte sudanesa instou a parte israelita a conseguir a estabilidade entre Israel e o povo palestiniano", acrescentou, notando que também foi abordado "o papel desempenhado pelo Sudão para abordar os problemas de segurança na região", assim como "perspetivas de cooperação conjunta" na agricultura, energia, saúde, educação, água e segurança.

O Israel e o Sudão anunciaram a sua intenção de normalizar relações em outubro de 2020, no âmbito dos acordos de normalização que o Estado judeu alcançou com os Emirados Árabes Unidos, o Barein e Marrocos, nesse mesmo ano.

Ainda assim, ao contrário do processo com esses países, a aproximação entre Israel e o Sudão não avançou muito desde então e ambos os Estados ficaram sem assinar um pacto definitivo para a normalização das relações, em boa parte devido à complicada situação política interna no Sudão, com a oposição a rejeitar a reconstrução de laços com Israel.

A haver um acordo final, o Sudão será o sexto país árabe a normalizar oficialmente a sua relação com Israel, seguindo o exemplo do Egito, em 1979, da Jordânia, em 1994, e dos Emirados Árabes Unidos, Barein e Marrocos, em 2020.

Os acordos assinados mudaram o paradigma relativamente à relação entre o Médio Oriente e o mundo árabe, segundo o qual os países árabes se comprometiam a não estabelecer relações formais com Israel até que este acabe com a ocupação de território palestiniano e permita um Estado palestiniano independente, recorda a agência Efe.

Leia Também: ONU pede levantamento da imunidade de responsáveis por violência no Sudão

Recomendados para si

;
Campo obrigatório