Meteorologia

  • 04 JULHO 2022
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 28º

"Vou disparar numa escola primária". Atirador anunciou ataque no Facebook

Salvador Ramos não só divulgou que ia disparar numa escola primária como que ia balear a avó.

"Vou disparar numa escola primária". Atirador anunciou ataque no Facebook

Decorreu, nesta quarta-feira à tarde, uma conferência de imprensa em Uvalde, no Texas, onde foi revelado, pelo governador, Greg Abbott, que Salvador Ramos anunciou no Facebook que iria balear a avó e abrir fogo numa escola primária

De acordo com as declarações de Abbott, o jovem, de 18 anos, admitiu nas redes sociais onde escreveu: "Vou balear a minha avó". De seguida confirmou "Disparei sobre a minha avó" e acrescentou "Vou disparar numa escola primária", minutos antes do ataque. O avó do atirador, que se encontra a ser assistido no hospital, confessou que a família "não fazia ideia" das intenções de Salvador ou mesmo que ele detinha armas.

Segundo o governador do Texas, o jovem de 18 anos baleou primeiro a avó, que conseguiu contactar com a polícia, enquanto o neto fugiu com o seu carro. Quando chegou à Robb Elementary School, Salvador teve um acidente, onde bateu com o carro e acabou por deixá-lo. 

Salvador tinha também deixado pistas no Instagram em como cometeria o crime. Contudo, Abbott afirmou que, para além das mensagens no Facebook, o atirador não deu "nenhum aviso prévio significativo" do massacre que pretendia fazer. 

Nas palavras de Abbott, "Uvalde ficou abalada. As famílias estão destroçadas e corações partidos para sempre". Frisou também que "todos os residentes do Texas estão de luto e que as pessoas estão revoltadas com o que aconteceu".

"O nosso trabalho é garantir que a comunidade se mantenha unida", esclareceu, aconselhando todos os moradores a "apoiar as famílias que foram afetadas por esta terrível tragédia".

Enquanto o governador do Texas discursava foi interrompido por Beto O'Rourke, ex-representante do Texas no Congresso, que gritou: "Isto era completamente previsível" e aproximou-se da mesa onde estavam vários membros da polícia e os senadores Ted Cruz e John Cornyn e exclamou que "não fizeram nada".

Ao ser retirado do local da conferência por seguranças, Beto O'Rourke disse que "alguém tem de defender as crianças deste estado ou elas continuarão a ser mortas como foram em Uvalde ontem". Após a sua saída, Abbott comentou: "Não há palavras que alguém possa gritar aqui que façam algo para curar os corações partidos", admitindo "todos nós somos responsáveis".

Durante a conferência foi abordado o tema da saúde mental, sendo utilizado como justificação, por Abbott, para o crime cometido e não o fácil o acesso a armas tanto automáticas como outras nos Estados Unidos da América. O governador do Texas explicou ainda que os seguros de saúde não cobrem estas despesas e que muitos norte-americanos não as conseguem suportar.

Após o massacre, que vitimou 19 crianças e dois adultos, Joe Biden, presidente dos Estados Unidos da América, pediu publicamente que o país enfrente 'lobby' das armas. Barack Obama, antigo presidente democrata, revelou no Twitter que o país "está paralisado, não pelo medo, mas por um lóbi das armas e um partido político [Republicano] que mostrou não ter vontade em agir numa forma que permita prevenir estas tragédias". 

Também Volodymyr Zelensky, o Papa Francisco e  os líderes de França, Alemanha e Espanha manifestaram-se em relação ao tiroteio. Marcelo Rebelo de Sousa não poderia ficar de fora e enviou mensagem de condolências a Biden.

Este tiroteio ocorreu menos de duas semanas depois de um atirador ter matado 10 afro-americanos num supermercado em Buffalo, Nova Iorque, no que as autoridades descreveram como crime de ódio.

[Notícia atualizada às 19h50]

Leia Também: Avô do atirador da escola no Texas diz que família "não fazia ideia"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório