Meteorologia

  • 05 JULHO 2022
Tempo
29º
MIN 17º MÁX 31º

ONU pede que se aprenda com o genocídio e se pare a guerra na Etiópia

Grupos africanos pressionam implementação de melhor acesso humanitário e manutenção da paz em Tigray.

ONU pede que se aprenda com o genocídio e se pare a guerra na Etiópia

Vários grupos da sociedade civil africana instam a Organização das Nações Unidas (ONU) a pressionar para que o acesso humanitário e a força de manutenção da paz sejam implantados em Tigray, na Etiópia.

Perante as atrocidades que se vivem na região, a ONU pediu para que se aprendam lições com o genocídio de Ruanda, em 1994, e se aja agora para parar a guerra na Etiópia, avança o jornal The Guardian.

A sociedade civil africana acusou as Nações Unidas de inação sobre as crueldades que ocorrem atualmente na Etiópia, alertando, através de uma carta, que a "situação [genocídio de Ruanda] corre o risco de se repetir".

Dezenas de milhares de pessoas terão sido foram mortas e milhões deslocadas desde o início da guerra entre o governo federal da Etiópia e a Frente de Libertação do Povo Tigray (TPLF), o partido governante da região norte do país, em novembro de 2020.

Todas as partes na guerra foram acusadas de crimes, incluindo assassinatos arbitrários, violações e tortura, enquanto os tigrinos étnicos em todo o país foram sujeitos a prisões em massa em meio a um aumento no discurso de ódio, que viu o primeiro-ministro, Abiy Ahmed, referem-se aos rebeldes Tigrayan como "ervas daninhas" e "cancro".

Leia Também: Vietname. Britânicos morrem em acidente de moto após colidir com poste

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório