Meteorologia

  • 15 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 27º

Ministra da Letónia demite-se após polémica com monumento soviético

A ministra do Interior da Letónia, Marija Golubeva, demitiu-se esta segunda-feira após diversas petições emitidas pela Aliança Nacional (AN), membro da coligação de Governo letão e após a polémica em torno de um monumento soviético em Riga, a capital.

Ministra da Letónia demite-se após polémica com monumento soviético
Notícias ao Minuto

16:27 - 16/05/22 por Lusa

Mundo Letónia

A AN, nacionalista e conservadora, tinha exigido a demissão da ministra e ameaçou com a retirada dos ministros da sua formação no Governo chefiado pelo primeiro-ministro, Krisjanis Karins.

Marija Golubeva é membro do partido liberal Pelo Desenvolvimento (APar).

Os pedidos de demissão foram reforçados após uma concentração não autorizada de letões russófonos em 10 de maio destinada a celebrar o final da Segunda Guerra Mundial frente ao monumento, e que serviu de justificação para o Parlamento e a câmara de Riga aprovarem o derrube do monumento.

Os acontecimentos de 10 de maio foram aparentemente suscitados por vídeos nas redes sociais que exibiam um 'bulldozer' a recolher e a depositar no lixo as ofertas de flores colocadas no dia anterior, quando no mundo russófono se celebra oficialmente a data da derrota da Alemanha nazi.

Apesar de representantes do município se terem referido a uma "prática habitual", as imagens ofenderam centenas de membros da minoria étnica russa ortodoxa, cerca de 25% da população do país, que voltaram a deslocar-se ao local para repor as coroas de flores e manifestarem-se, antes de serem dispersos pela polícia ao início da noite, que foi acusada de ignorar o desrespeito pela "ordem pública" e a exibição de símbolos soviéticos e russos.

Representantes dos quatro partidos que formam o Governo de Karins promoveram hoje uma reunião extraordinária, que antecedeu o conselho de ministros de terça-feira e o plenário do Parlamento.

Diversos círculos políticos consideram que a AN efetuou uma manobra populista a poucos meses das eleições legislativas de 1 de outubro, e que o seu objetivo visava Golubeva, de origem russa e homossexual (a segunda pessoa com esta orientação no Governo para além do chefe da diplomacia, Edgars Rinkevics), indicou a agência noticiosa Efe.

No entanto, desconhecesse se a Apar apresentará um substituto ou se o primeiro-ministro vai recorrer aos restantes partidos da coligação para apresentarem um candidato.

Leia Também: Letónia vai demolir controverso monumento soviético

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório