Meteorologia

  • 04 DEZEMBRO 2021
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 17º

Edição

Crise/Energia: Subida de preços divide Alemanha sobre nuclear

A subida dos preços da energia tem vindo a dividir a Alemanha, até aqui assumidamente antinuclear, com 25 personalidades a pedir ao governo para manter as centrais que ainda restam a funcionar.

Crise/Energia: Subida de preços divide Alemanha sobre nuclear
Notícias ao Minuto

21:23 - 25/10/21 por Lusa

Mundo Alemanha

Atualmente, cerca de metade da eletricidade da Alemanha tem origem em fontes renováveis, um quarto tem origem no carvão, 13% vem do gás natural e cerca de 12% de energia nuclear.

A forte oposição ao nuclear na Alemanha já tem mais de quatro décadas, mas foi em 2011, depois do acidente de Fukushima, que a chanceler Angela Merkel decidiu pôr um fim às 17 centrais nucleares do país.

A um ano do fim das centrais nucleares no país, 25 personalidades, entre eles escritores e jornalistas, escreveram uma carta conjunta alertando para o aumento das emissões de carbono caso se decida reduzir a energia nuclear.

"Querida Alemanha, por favor, mantenha os seus reatores 'online' a funcionar", lê-se no documento publicado este mês de outubro no jornal Welt.

"A Alemanha corre o risco de falhar a sua meta climática para 2030, apesar de todos os seus esforços", escreveram os autores, entre eles o colunista especialista em ambiente George Monbiot, e o ex-diretor do Die Zeit, Theo Sommer.

O artigo tem como base um relatório preliminar que antecipa que a Alemanha reduzirá as emissões em apenas 49%, em vez dos 65% a que está legalmente obrigada.

O Ministério do Meio Ambiente alemão sublinhou, no entanto, que estes resultados não têm em conta as medidas e os esforços que estão a ser tomados atualmente.

Segundo uma sondagem, levada a cabo no mês de setembro pelo serviço de comparação de preços Verivox, três quartos dos alemães querem que o governo tome medidas mais duras para combater os aumentos dos preços e 31% apoiam a manutenção da energia nuclear caso ela estabilize os preços da eletricidade.

O preço de mercado da eletricidade aumentou, na Alemanha, cerca de 140% desde janeiro. Os especialistas acreditam que os preços da energia estão a ser influenciados pela subida de 440% do gás natural desde o início de 2021.

Até agora, os preços da eletricidade e do gás nas casas alemãs aumentaram 4,7% no primeiro semestre do ano, mas muitos consumidores temem os próximos meses. A Alemanha é o país com a eletricidade mais cara da Europa.

A Alemanha, tal como a Dinamarca, a Áustria, Luxemburgo e Espanha partilham a opinião de que a energia nuclear não pode ser um caminho viável para um futuro sustentável, devido aos problemas com a eliminação de resíduos radioativos, e a dificuldade e perigo associado à construção de centrais nucleares.

Com um novo governo à vista, com uma coligação formada pelos Verdes, os liberais do FDP e o SPD, o tema poderá entrar nas negociações de formação de um executivo "semáforo."

Se, por um lado, os Verdes são assumidamente antinuclear, também estão comprometidos com o combate às mudanças climáticas e à redução de emissões, já o FDP está aberto a manter esta forma de energia no país.

Leia Também: Crise/Energia: Nuclear é consensual em França mas ainda persistem dúvidas

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório