Meteorologia

  • 26 OUTUBRO 2021
Tempo
19º
MIN 14º MÁX 25º

Edição

Dezenas de milhares protestam na Geórgia pela libertação de Saakashvili

Milhares de pessoas manifestaram-se hoje na Geórgia para exigir a libertação do ex-Presidente Mikheil Saakashvili, detido após o seu regresso do exílio no início de outubro e que iniciou uma greve de fome.

Dezenas de milhares protestam na Geórgia pela libertação de Saakashvili
Notícias ao Minuto

17:05 - 14/10/21 por Lusa

Mundo Geórgia

Pelo menos 50.000 pessoas concentraram-se na Praça da Liberdade, no centro da capital, Tbilissi, exibindo faixas com a frase "Libertem Saakashvili", que permaneceu exilado durante oito anos antes da sua recente detenção.

O protesto foi convocado pelo Movimento Nacional Unido (MNU), fundado pelo ex-líder, atualmente com nacionalidade ucraniana e que se encontra numa prisão da cidade de Rustavi, 30 quilómetros e sudoeste da capital georgiana, após ter optado por regressar clandestinamente ao país do Cáucaso e proveniente da Ucrânia.

Saakashvili, 53 anos, foi condenado à revelia, em 2018, a seis anos de prisão por organizar um atentado contra um deputado, e a três anos por abuso de poder.

A justiça georgiana desencadeou dois outros processos penais contra o ex-Presidente, por má gestão de fundos públicos num montante de cinco milhões de dólares (4,3 milhões de euros) e por utilização do exército para dissolver um comício da oposição em 2007, quando ocupava a chefia do Estado.

"O ex-Presidente Sakashvili forneceu um grande contributo para o desenvolvimento do país e não deve estar na prisão. É um preso político", disse Zaal Udumashvili, um dos líderes da oposição ao Governo, dirigido pela formação Sonho Georgiano, vencedor por curta margem das legislativas de 2020 e liderado pelo milionário Bidzina Ivanichvili, o grande rival de Saakashvili.

O antigo chefe de Estado, uma figura muito controversa decidiu regressar secretamente à Geórgia nas vésperas das eleições municipais, cruciais para o poder.

O Sonho Georgiano venceu o escrutínio com 46,7% dos votos, contra 30,6% para o MNU de Saakashvili. Os diversos partidos da oposição reuniram no conjunto 53% dos votos e denunciaram fraudes em grande número.

Nas principais cidades, incluindo Tbilissi, a segunda volta está agendada para 30 de outubro entre os candidatos do poder e do MNU.

Leia Também: Ex-Presidente Saakashvili detido após regressar à Geórgia

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório